sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Sete livros sobre lobisomens

No início eles só se transformavam nas noites de lua cheia, mas com tantas releituras, os lobisomens se tornaram cada vez mais independentes do ciclo lunar. De acordo com a necessidade de cada enredo, as regras mudam, mas eles sempre serão criaturas fascinantes. Não importa o gênero, eles sempre encontram uma brechinha para entrar e tomar conta da história.


A Hora do Lobisomem

A cidade de Tarker’s Mill está apavorada com a os ataques de uma criatura que aparece nas noites de lua cheia e à cada vez, faz uma vítima letal. Os moradores relutam em aceitar que se trate de algum ser sobrenatural, mesmo com tantas mortes se sucedendo, uma mais violenta que a outra. Somente um menino numa cadeira de rodas consegue dar um nome a esse ser: lobisomem. Armado de uma espingarda com uma bala de prata e com a ajuda apenas de sua turma, ele pretende derrotar o monstro, mesmo que esse esconda a identidade de um dos moradores da cidade. A história se passa no período de um ano e os capítulos são divididos de acordo com os meses, o que dá um dinamismo muito instigante à trama. Livro ágil, sem rodeios e com uma emoção crescente, que leva a um clímax vertiginoso.

Lua Nova 

Jacob é descendente de uma linhagem indígena de homens lobos, autodenominados  transmorfos. Vive no vilarejo de La Push  com seu pai e pouco sabe sobre suas origens. Tanto que teme se tornar igual ao amigo Embry, membro de uma gangue de “Protetores”, que vagueia pelas florestas e é liderada pelo sombrio Sam. Porém, quando completa dezesseis anos o rapaz se transforma em lobo pela primeira vez e descobre que a gangue, que na verdade é uma alcateia, é bem intencionada, apesar da aparência feroz. Jacob então se desdobra em suas duas identidades, a de um pacato jovem que tem como passatempo montar carros e a do herói lupino que vive salvando sua amiga Bella dos perigos.


Wereworld

A lua cheia prepara momentos nada agradáveis para o jovem Drew Ferran. O primeiro sintoma é uma implacável febre, seguida por mudanças aberrantes em seu corpo, como unhas se transformando em garras, pelos cobrindo cada centímetro de sua pele e presas dilacerando sua gengiva. Tudo isso porque Drew é um Werewolf, um representante da linhagem pura dos lobos. Na verdade ele é mais que isso, é o último descendente da linhagem real de sua espécie e, por isso, tem direito de assumir o trono. Porém, muitos desafios surgem em seu caminho e ele descobre que além dos Werewolfs, há muitas outras criaturas fantásticas habitando esse mundo.


A  Dádiva do Lobo

Depois de anos afastada dos livros de terror, Anne Rice retoma o gênero escrevendo sobre nada menos que lobisomens. Reuben é um jornalista que, hospedado numa mansão sobre a qual prepara uma reportagem, é atacado por um lobisomem e se torna um deles. Como seria de se esperar, Reuben fica horrorizado com sua nova condição. Mas isso dura pouco. Ao invés de ficar sofrendo crises existenciais porque se transformou num monstro, o rapaz parte logo para colocar suas novas habilidades em prática e se torna um justiceiro nas noites de Nova Orleans, matando os malfeitores que ploriferam pela cidade. Ao mesmo tempo, o rapaz busca respostas sobre a criatura que o transformou, o que o leva a uma jornada pelas origens da licantropia.


A Maldição do Lobisomem 

Não esperem cenas sangrentas, pois o foco do livro é o romance entre a jovem Jesse e o novo aluno Petr, um rapaz misterioso que chega a cidade e vira a sua vida do avesso. É uma narrativa lenta, onde indícios da presença de uma criatura sinistra vão surgindo aos poucos e somente nas últimas páginas o lobisomem prometido no título se apresenta em toda a sua opulência. Jessie tenta superar uma grande tragédia familiar, quando é designada a ser guia no colégio do novo aluno Pietr Rusakova. Envolto em mistério, o rapaz se torna o objeto de desejo da maioria das garotas do colégio e  com Jessie não é diferente, embora ela tente lutar contra essa atração. Logo após a junto de Pietr, vários acontecimentos estranhos começam a se suceder na até então pacata cidade. Uivos, pegadas, vislumbres de uma criatura monstruosa, nada palpável, mas que atiça a curiosidade de Jessie. Conforme ela avança em suas investigações, se depara com uma ligação entre lobisomens e a Máfia Russa. E é aí que o perigo se torna cada vez mais intenso.


Abused Werewolf: Grupo de Resgate ao Lobisomem

Com muito bom humor, Catherine Jinkins apresenta-nos o mundo dos lobisomens de uma maneira inusitada, mas mantendo-se fiel às características convencionais dessas criaturas. Aos treze anos, Toby descobre que está sofrendo de uma condição muito peculiar e quando lhe é informado que se transformou num lobisomem, zomba do fato, recusando-se a acreditar. Porém, basta uma noite de lua cheia para mostrar o quanto o assunto é sério. Toby se transforma num animal selvagem, incapaz de se controlar e de distinguir os seres humanos entre amigos ou inimigos. Quando se transforma, todos se tornam suas presas em potencial, sendo necessário contê-lo para não sair por aí destroçando quem encontre no caminho. E, além de ter de lidar com essa nova realidade, Toby se vê nas mãos de inescrupulosos traficantes de lobisomens.


Fúria Lupina

Um dos maiores atrativos desse livro é resgatar o folclore brasileiro. Embora a história se desloque por vários países, quando a ação se passa em nossas terras, mais precisamente na Amazônia, temos um belo panorama de nossa mitologia. Porém, não esperem um livro mágico, poético, repleto de encantos. Alfer Medeiros não economiza no terror, descrevendo cenas de uma violência devastadora.Mas, embora agressivos,os lobisomens de Alfer são criaturas conscientes da sustentabilidade, que se importam com a natureza e se preciso, derramam sangue humano para preservá-la. Organizados numa alcateia global, eles tem identidades secretas para se proteger de seus inimigos. Um dos mais perigosos, é o caçador Joe Hell Vansing, que representa o lado mais mesquinho do ser humano. Um livro de terror, mas com uma bela mensagem ecológica que salta das entrelinhas.










domingo, 24 de janeiro de 2016

Jogo Perigoso - Stephen King


Sinopse

Jessie e o marido resolvem passar um fim de semana de muito sexo na casa de campo do casal, num recanto do Maine. Para revitalizar o casamento, ela topa ser algemada pelo marido, satisfazendo suas fantasias. Porém, um incidente ocorre e Jessie se vê sozinha, diante do cadáver do marido e algemada à cama.Tudo muda naquele jogo e Jessie começa a viver os momentos mais terríveis de sua vida. Ao acompanhar sua agonia, o leitor vê-se enredado em mais uma narrativa eletrizante de King.

Resenha

Esse é o livro mais controverso de Stephen King. As opiniões sobre essa obra são muito divergentes e decidi encará-lo de uma vez para trirar as minhas próprias conclusões. O início é um marasmo. Sei o quanto Stephen é detalhista, mas geralmente sua narrativa meticulosa é envolvente, fazendo com que acompanhemos fascinados a construção de seus personagens. Porém, no caso desse livro, os primeiros capítulos são tão dispersivos que eu me sentia à léguas de distância da história. Stephen demora demais a armar o cenário para seu drama, mas, em compensação, quando isso acontece a história toma uma nova atmosfera e então pude reconhecer o velho mestre do terror.

Presa naquela armadilha do destino, Jessie tem como única companhia suas vozes interiores, cada uma representando um aspecto de sua personalidade. A Esposa Perfeita, que é o seu lado reprimido, a psicanalista Nora, que é seu lado racional e Ruth, seu lado rebelde. A protagonista tem um trauma do passado, relacionado a um abuso sexual, do qual sempre tentou fugir. Assim como está presa naquela cama, também está presa ao passado e aquela é a oportunidade de encarar seus complexos e superá-los. Essas vozes na cabeça de Jessie são um porre eu achei que o livro todo ficaria naquilo, até que dois outros personagens entram na história. O primeiro é um cachorro. No início, achei que sua presença seria uma espécie de conforto a Jessie. Acreditei que o animal lhe faria companhia naquela situação desoladora, mas estamos falando de Stephen King e não de Dean Koontz. Cães amigos não fazem muito o gênero do autor. O cão não apenas representa uma ameaça para a protagonista, que está totalmente vulnerável, como é o responsável por uma das cenas mais grotescas escritas pelo autor. O que o cachorro faz ao entrar no quarto é de revirar o estômago. Mas terror de verdade, quem nos reserva é o outro visitante. Um homem de preto que, postado num canto do quarto, observa Jessie e segura uma mala cheia de ... É melhor vocês mesmo conferirem o conteúdo da mala. Só adianto que esse cara me deu um medo da porra!

Stephen consegue explorar o desespero da personagem de forma sádica. Tomada por cãibras, cada movimento que Jessie dá é um martírio, mas ela reage e não desiste de escapar. O gesto de conseguir esticar a mão e agarrar o copo d’água na cômoda ao lado é narrado com a força de uma aventura épica. Comemoramos cada vitória da personagem como se fosse nossa.

Apesar de alguns tropeços, tenho de reconhecer a competência e a ousadia de Stephen King em preencher mais de quatrocentas páginas (minha edição é a de bolso), com um enredo tão limitado. O cara tira leite de pedra. Mais uma prova do talento desse singular escritor.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Sete livros sobre anjos

Depois das releituras de vampiros e lobisomens, foi a vez dos anjos ganharem uma nova face na literatura. Passaram a conviver com a nossa espécie, estando cada vez mais próximos. Uns mais convencionais, outros dotados de emoções humanas e alguns até mesmo perigosos. Aqui vão sete livros com anjos para os mais diferentes públicos.


O Senhor da Chuva

Perseguido por seus inimigos, um anjo utiliza do único recurso capaz de salvá-lo da destruição: se apossar do corpo de um ser humano agonizante. Tal ato quebra uma regra sagrada que dá direito aos demônios de evocarem uma guerra desigual que poderá desencadear o extermínio de todos os anjos de luz da terra. E essa guerra se dá numa tranquila cidade do interior do Brasil. Dois irmãos se veem em meio a esse conflito celestial.  Samuel é um fazendeiro, casado, levando uma vida sem ambições, mas repleta de felicidade. Gregório vive na cidade e está envolvido com o tráfico de drogas. O curioso nesse livro é que os irmãos acabam por se colocar em lados opostos nessa guerra entre anjos, mas diferente do previsto, o ovelha negra Gregório segue o caminho angelical, se tornando o instrumento do bem e o pacato Samuel é levado para o caminho das trevas. Embora o texto de André Vianco seja sofrível, a história é bem criativa.


 Fallen

Confinada num internato após provocar um incêndio, Luce conhece o misterioso Daniel Grigori e fica fascinada por sua aura enigmática. Ele, porém, não dá muita bola à moça, o que só atiça a sua vontade de se aproximar e conhecê-lo melhor. Essa curiosidade não tarda a se transformar em paixão e logo a jovem descobre que os segredos que Daniel esconde são muito mais espantosos do que ela poderia imaginar. O rapaz é um anjo caído e estar diante dessa revelação a leva a uma realidade que é tão empolgante, quanto perigosa. No meio de uma batalha celestial, Luce descobre que sua ligação com Daniel é vem de tempos longínquos e que ela pode ser uma peça importante nessa batalha entre seres sobrenaturais.




Angelologia, o Conhecimento dos Anjos

Quando vi esse livro pela primeira vez, sem notar a indicação na capa de que se tratava de um romance, achei que se tratasse de alguma obra esotérica, explicando sobre a influência de anjos em nossa vida ou algo parecido. Mas, na verdade, o livro é um trhiler sobrenatural, que transforma a figura dos anjos em criaturas ameaçadoras. Irmã Evangeline nem suspeita que faz parte de uma sociedade que estuda os Vigias (anjos que caídos por terem se apaixonado por humanas e os Nefilins, o resultado do cruzamento entre essas “espécies”. Estes, tocam o terror quando aparecem. São criaturas presunçosas, ambiciosas e violentas quando necessário. Vivem infiltradas em meio à humanidade, em posições de poder. Porém, seus rivais humanos não ficam atrás quando o assunto é atacar seus inimigos e isso resulta nu ma guerra que se estende por séculos.


O Torneio dos Céus

Dimitris Saloustrous teve uma morte precoce, deixando a sua esposa na Terra. Mas seu amor é tão grande, que ele tenta de todas as formas voltar ao mundo dos vivos para reencontrá-la. Além disso, também está determinado a encontrar seu pai já morto, esteja ele no Paraiso ou nas Oito Prisões. Para alcançar seu objetivo, o rapaz se aventura numa viagem num mundo desconhecido em busca do Vale dos Anjos, único local onde poderia cumprir sua promessa. Na companhia do anjo-guia-de-enterro Obelisco, um ser dotado de um adorável senso de humor, muito útil naquela difícil jornada, pela cúpido Anne, que exibe uma irretocável beleza e treinado pelo mestre Ramirez, Dimitris encontra em seu caminho grandes lições que o fazem evoluir durante aquela longa caminhada.


Fallen Angels

Jim Heron é um homem comum, sem nenhum poder oculto. Tem suas qualidades e defeitos como qualquer ser humano, e tem uma vida modesta, trabalhando como carpinteiro numa grande obra. Durante uma experiência de quase-morte, Jim é transportado para um cenário etéreo e é abordado por quatro anjos que o encarregam de uma difícil missão. Jim terá sete chances de influenciar seus companheiros da raça humana. Se obtiver sucesso, salvará a alma de sete pessoas e assim, ajudará os anjos na batalha celestial que está ocorrendo. Cada alma a ser salva representa um pecado e o primeiro será a cobiça, por meio do  multimilionário Vin diPietro.
Cada série apresenta Jim, se dedicando a redimir uma alma, portanto este é o primeiro de sete livros deliciosos de mais uma excelente série de J r Ward.


O Anjo da Guarda


Johnny é um adolescente de dezessete anos que morre num trágico acidente de carro no dia de sua formatura. Johnny partiu no auge de sua juventude, deixando inconsoláveis a namorada, os amigos e sua linda família. O pai, sentindo-se culpado pelo acidente, se culpa e passa a beber, a irmã se sente ignorada e o irmão mais novo, perde a fala após o acidente. Mas, algumas semanas após sua morte, Johny retorna. Somente sua mãe e seu irmão, podem vê-lo. Ele não compreende porque continua ligado a esse mundo, mas sabe que esse fato tem alguma relação com o fato de sua família estar se desfazendo após a sua morte. Johnny então se transforma no anjo da guarda daqueles que ama e, se empenha na missão de salvar sua família.


Tempo de Anjos

Quando jovem, Toby O´Dare tinha o sonho de se tornar padre, mas uma grande tragédia culminou na destruição de sua família, tornando-o uma pessoa amarga, sem sentimentos e desiludida com o mundo. Sem mais nenhuma ligação afetiva, Toby muda totalmente o rumo de sua vida, se tornando um assassino de aluguel. Mas, apesar de toda a desolação que há em sua alma, há uma chance de redenção e ela vem através do anjo Machiah, um serafim que cruza seu caminho na missão de convencê-lo a reparar seus erros. E Machiah é tão bem sucedido em sua empreitada, que convence seu protegido a fazer o oposto do que exigia sua profissão. Ao invés de tirar vidas, salvá-las.





quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O Canto das Sereias - Val MacDermid


Sinopse

Um assassino abandona os corpos mutilados de suas vítimas, todos homens, em redutos gays. A polícia reluta em confirmar que se trata da ação de um serial killer, mas após o quarto crime não há mais como negar, e os serviços de um profiler são solicitados. Tony Hill é contratado para para elaborar um perfil criminal do assassino. Por causa da ausência de pistas, o psicólogo Tony Hill é convocado para ajudar na investigação. Com a ajuda da detetive Carol Jordan, sua missão é entrar na mente do criminoso e estabelecer um perfil que possibilite desvendar sua identidade. Porém, mesmo para um profissional experiente como ele, a violência praticada em cada assassinato é algo com o qual nunca lidou.

Resenha

A história se divide em dois períodos. No presente, temos a polícia diante de quatro assassinatos de homens cujos corpos foram abandonados em redutos gays. No passado recente, temos o ponto de vista de um assassino misterioso, que destila crueldade na maneira como executa seus crimes. O mais interessante dessa forma em que a narrativa foi dividida, é que à medida que a polícia vai fazendo descobertas a respeito dos crimes e criando suas teorias sobre a identidade do culpado, nós vamos acompanhando cada crime através da narrativa em primeira pessoa do assassino. Dessa forma, sempre que a narrativa se desloca para as cenas narradas pelo criminoso, que se passam alguns meses antes da narrativa principal, nós já sabemos quem serão as vítimas e como elas serão encontradas. Mas os detalhes macabros e instigantes, da maneira como o assassino se aproximou de cada uma, como as capturou e matou, vão sendo revelados pelo próprio no decorrer da leitura.

Sem conseguir avançar nas investigações, a polícia contrata os serviços de um profiler, o problemático Tony Hill, que desperta o interesse da inspetora Carol Jordan. O que é curioso em relação ao casal, é que ambos se sentem excluídos do meio onde trabalham. Ela, por ser mulher num mundo dominado por homens machistas e ele, por ser um acadêmico cujas teorias são ridicularizadas por policiais, que se recusam a aceitar que todo o seu jargão psicanalítico seja mais eficiente na solução de crimes do que os métodos convencionais. Carol e Tony se aproximam um do outro com muita cautela, temendo se ferir, um cercando o outro, mas mantendo uma distância segura. Essa hesitação faz com que torçamos ainda mais para que se entendam de uma vez.

A autora explora também, de modo muito competente, o jogo de interesses que há por trás de uma investigação. Há vários personagens em conflito nos bastidores da força policial. Um fazendo uso das piores baixezas para dar o caso como solucionado, mesmo que seja necessário punir um inocente, outro passando informações à uma jornalista inescrupulosa, outro correndo o risco de ganhar perigosos inimigos somente por agir com ética. O livro tem muitos desdobramentos nesse sentido, levando a história por caminhos imprevisíveis.

Mesmo tendo lido ótimos livros sobre serial killers nos últimos tempos, O Canto das Sereias me impressionou. Posso dizer que o livro superou em muito as minhas expectativas. Só levei mais de uma semana para terminá-lo por pura falta de tempo e não devido às suas mais de quatrocentas páginas, pois, à cada vez que o pegava, relutava em largá-lo. Esse é o primeiro livro do casal Carol e Tony e acho uma pena que tenha demorado quase vinte anos para chegar ao Brasil. Há vários livros de Val publicados aqui, mas com outros personagens. Espero que, agora que a Bertrand publicou o primeiro, a editora siga com a série, de preferência, na ordem correta. Enquanto isso não acontece, me contentarei com os outros títulos da Val e comentarei cada um deles com vocês.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Sete livros sobre viagem no tempo

Começando o ano voltando à essência do blog, que são as listas, O Porque Livro Nunca Enguiça traz um tema que mexe com a imaginação de todos: viagens no tempo. Quem não gostaria de retornar a uma época em reviver momentos que guarda dentro da memória? Seja por amor, por curiosidade científica ou para salvar o futuro, cada um desses autores deram sua visão sobre esse assunto. Vamos conhecer sete obras que exploraram esse inusitado tema?


Em Algum Lugar do Passado

Os caprichosos caminhos do tempo são o tema desse emocionante livro. Richard Matterson, conhecido por suas atordoantes histórias de terror, conseguiu mostrar seu lado mais sensível com essa obra que fala da força do amor, da renúncia em abrir mão de sua própria realidade para viver ao lado de alguém e da dor que é ver seu sonho escorrer pelas mãos. Richard Collier é um teatrólogo que se apaixona perdidamente por uma antiga fotografia de uma atriz num hotel. Logo, descobre que essa mesma mulher tinha uma inexplicável ligação com ele e se aventura numa viagem ao tempo para encontrá-la e viverem juntos um grande amor. Uma obra que te faz pensar se as barreiras do tempo realmente existem ou são mera ilusão.


Linha do Tempo

Um grupo de historiadores trabalha nas escavações da região de Dordogne na França, reconstituindo a cultura medieval. Porém, o líder da escavação, Professor Johnson, entra em conflito com a empresa que patrocina os estudos e, o único modo de concluir suas pesquisas é utilizando os seus conhecimentos de física quântica para voltar no tempo e conhecer a fundo a cultura daquela região. Porém, o Professor fica preso no passado e seus companheiros de pesquisa se lançam na missão de resgatá-lo. Crichton fez uma impecável reconstituição de época, numa história alucinante, onde sua minuciosa pesquisa e domínio do assunto torna crível uma obra que nas mãos de outro escritor se passaria por uma delirante fantasia.


O Guardião

Ter um anjo da guarda deve ser muito bom e Laura Shane sabe muito bem o que é ser protegida constantemente por alguém que aparece em momentos decisivos em sua vida. Ela pouco sabe sobre esse homem, apenas que ele é precedido por relâmpagos. Mas apesar de toda essa aura sobrenatural, Stephan é apenas um homem comum traçando um caminho incomum. Um cientista que, se utilizando de uma tecnologia desenvolvida nos anos quarenta, faz viagens no tempo, saltando os anos e retornando à sua época original. A missão de Stephan é defender Laura de inimigos vindos do passado, que pretendem reescrever a História e, por algum motivo, vêem na jovem um empecilho para seus planos. Por que Laura é tão importante? Só lendo essa fantástica obra de Dean Koontz, para saber.



Novembro de 63

Os fundos da despensa de uma lanchonete pode esconder muitas coisas. Mantimentos prestes a vencer, produtos ilícitos, tralhas sem utilidade e um portal capaz de fazê-lo voltar no tempo. Al, dono desse estabelecimento, designa Jake Epping, um pacato professor de inglês do Maine a cumprir a missão pela qual é obcecado: impedir o assassinato de Kennedy. De um instante para o outro, o professor se encontra em plenos anos sessenta, onde inicia uma nova vida, muito distante de todas as intrigas políticas de Washington. Mas, apesar de tentar fugir à sua missão e à toda a responsabilidade que ela envolve, o caminho de Jake se cruza ao do atormentando Lee Harvey Oswald e está em suas mãos mudar os rumos da História.


A Máquina do Tempo

O mais revolucionário de todos os veículos: a máquina do tempo. Capaz de conduzir o ser humano em viagens através de milênios e mostrar o destino final da humanidade, fazendo com que aprendamos com nossos futuros erros e tenhamos a oportunidade de conquistá-lo. H G Wells, na verdade, utilizou a ficção científica para expor suas opiniões políticas, criticando o capitalismo e sugerindo que o socialismo seria a única maneira de impedir as catástrofes presenciadas pelos viajantes. Mas, visões políticas a parte, o livro também fala de desastres naturais, com o sistema solar entrando em colapso, transformando o livro numa emocionante aventura.


O Fim da Eternidade

Os Eternos formam uma organização que controla o tempo. Há milênios eles acompanham o progresso da humanidade, interferindo sempre que acham necessário, sempre visando o bem da raça humana. O técnico Andrew Harlan nunca questionou as ações da organização à qual pertencia. Condicionado por um treinamento rigoroso, Harlan aprendeu a deixar as emoções de lado na hora de fazer seu trabalho. Pelo menos, até conhecer a bela Noÿs Lambent. A existência dessa mulher pode por em risco o destino de toda a humanidade, mas, apaixonado, Andrew decide contestar as decisões dos Eternos e, arbitrariamente, alterar a História para salvar sua amada.


Operação Cavalo de Troia

O relato de uma experiência feita pela NASA, na qual um grupo de cientistas seria conduzido a uma viagem no tempo até a época de Jesus, para acompanhar o seu calvário, chegou às mãos do escritor J.J. Benítez, através de um astronauta norte americano, envolvido no que foi denominada a Operação Cavalo de Troia. Não sei se alguém acredita na veracidade dessa história, mas que é uma excelente jogada de marketing do autor, não há como negar, já que dá uma atmosfera bastante realista e, por isso, instigante, aos seus relatos. Os momentos finais da vida de Jesus Cristo são reconstituídos de forma primorosa, mas insinuar que Cristo era um extraterrestre foi uma escorregada feia, que tirou muito da credibilidade do autor.