domingo, 29 de outubro de 2017

Por Trás de Seus Olhos - Sarah Pinborough



Sinopse

Louise é mãe solteira, trabalha como secretária e está presa à rotina da vida moderna. Em uma rara saída à noite, ela conhece um homem no bar e se deixa envolver. Embora ele se vá logo depois de um beijo, Louise fica muito animada por ter encontrado alguém. Ela só não esperava que seu novo e casadíssimo chefe seria o homem do bar. Apesar de ele fazer questão de logo esclarecer que o beijo foi um equívoco, em pouco tempo os dois passam a ter um caso. Em uma terrível sequência de erros, Louise acaba ficando amiga da esposa do amante. E, se você acha que sabe para onde esta história vai, pense de novo, porque Por trás de seus olhos não se parece com nenhum livro que já tenha passado por suas mãos. À medida que é arrastada para a história do casal, Louise acaba com mais perguntas que respostas e a única coisa certa é que algo naquele casamento está muito, muito errado.

Resenha

Esse é o tipo de livro em que a sinopse fala muito pouco, mas é tão provocativa que dá muita curiosidade em ler. Curiosidade essa aumentada pela polêmica que envolve o surpreendente desfecho. Foi o que mais me motivou a priorizar a leitura, pois adoro esses desfechos que deixam o leitor desnorteado. E foi o que aconteceu comigo. Temos duas protagonistas completamente diferentes uma da outra, extremos opostos ligados por uma trama repleta de segredos, malícia e paixão. Louise é uma mulher simples, acima do peso, separada e com um filho pequeno, levando uma vida vazia da qual se ressente muito. Adele é uma beldade, herdeira de uma grande fortuna, casada com um médico que administra seus bens e, aparentemente, a mantêm numa redoma de vidro.

O primeiro elemento que me intrigou no enredo foi o mistério envolvendo essa relação. Logo no início do livro percebe-se algo de muito estranho naquele casamento, mas é difícil afirmar o quê. Alguns indícios apontam para um relacionamento abusivo por parte do marido, outros sugerem uma superproteção, como se o isolamento fosse necessário para preservá-la de algo. Talvez de si mesma.

Mas a relação de suposta amizade entre Adele, a esposa, e Louisie, a amante, é o que dá ritmo ao livro, nos instigando à cada página. Enquanto Adele é um incógnita, uma mulher inteligente e fria, Louise, é simplória, passional, atrapalhada, tanto que toma algumas atitudes estúpidas que me deixavam exasperado. Fica claro que uma está manipulando a outra, porém não sabemos o motivo. E conforme esse jogo psicológico se intensifica, alimentado por intrigas, dúvidas, suspeitas e possiveis crimes do passado, começamos a nos questionar quem é o verdadeiro manipulador na história. Nesse triângulo amoroso à todo momento você é jogado contra um vórtice, fazendo com que o jogo vire à cada revelação e você reveja suas próprias conclusões. Quem é a verdadeira vítima ali?

E quanto ao controverso final, achei inusitado demais, mas gostei bastante. Muita gente o criticou por achá-lo surreal demais, como se fosse incoerente com o resto do livro, mas discordo. Desde o início a narrativa é permeada por um elemento fantástico, por isso este não destoou do restante do enredo. A autora foi honesta e não tirou uma solução absurda da cartola. A revelação final foi totalmente inesperada pra mim e tive as variadas reações. Fiquei perplexo, achei engraçado, bizarro, revoltante, tudo num único capítulo e adorei que a leitura tenha me proporcionado todas essas emoções ao invés de um final previsível que me deixasse apático. Adorei a leitura, o quanto a autora me passou pra trás, me fazendo constatar que eu não sabia é nada, me iludindo bonito.