sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Um balanço das metas literárias


No início do ano estabeleci algumas metas literárias e agora chegou o momento de fazer um balanço do que consegui ou não alcançar nesse período. Foi a primeira vez que tracei objetivos como leitor, pois sempre fiquei em dúvida se isso ajuda ou apenas te deixa pilhado. Ler é algo bom demais pra ficarmos nos policiando, nos obrigando a ler aquilo que não estamos na vibe só pra alcançar alguma meta. Mas a disciplina também nos dá aquela sensação boa de organização. Só fui me focar mais em minhas metas a partir do segundo semestre, por isso cumpri bem pouco do que havia me proposto. Mas mesmo assim, consegui colocar um pouco de ordem no meu caos literário.


Zerar meus Stephen King

A primeira proposta era zerar meus Stephen King. E posso dizer com orgulho que consegui. Foram cinco livros do mestre do terror. Achei que não cumpriria essa meta porque cheguei em dezembro sem nem começar a ler Duma Key, mas o passei na frente pra logo depois abandoná-lo. Não consegui me conectar com o livro de modo algum. Muita gente me motivou para continuar, dizendo que o livro é ótimo, e até parecia mesmo, mas foi algo pessoal. Cheguei a quase um terço do livro e ele não me cativou. E como é muito raro eu retornar a um livro que tenha abandonado, já me desfiz dele. Uma pena, mas a vida é curta demais pra perder tempo lendo o que não te agrada.



Séries

Outra meta era dar continuidade às séries. Meu problema é que inicio várias séries literárias e não dou sequência. Me atualizar com tantas seria impossível, mas me propus a ler pelo menos um livro de algumas delas. Queria muito seguir com a série Arquivos Bower de Steven James, mas não rolou. Ainda estou no primeiro livro. Mas li o segundo da série Mortal de J.D.Robb (Nora Roberts). Outro da pentalogia Fuga de Furnace, que coloquei sem querer no carrinho da Estante Virtual e só descobri quando recebi o livro. Também me atualizei com a série Bolitar de Harlan Coben, lendo O Medo Mais Profundo. Agora é só aguardar a editora preencher a lacuna para eu ler os mais recentes que tenho. Li o segundo de Robert Bryndza, Uma Sombra na Escuridão, que é uma série policial bem promissora. Estreei com a série de Kristina Ohlsosn com os livros Indesejadas e Silenciadas. Essa já é uma série que não curti muito, mas pretendo ler o terceiro. E li o novo livro da série Rizzolli, Segredo de Sangue, mas os livros dessa série não costumam esperar mesmo. Assim que são lançados, corro pra comprar.


Releituras 

Me propus a fazer pelo menos uma releitura por mês. Meta sem noção. Não teria como. Mas reli quatro livros esse ano e a única decepção foi 79 Park Avenue de Harold Robbins. Amei lê-lo em minha juventude e era um dos meus favoritos do autor. Mas ao revisitá-lo, descobri que não era tudo isso.


Comprar Menos Livros 

E a meta mais difícil era comprar menos livros. E digo isso porque comprar livros é bom demais. É até melhor do que ler, porque comprar sempre é um momento agradável e ler nem sempre. Há muitos livros que nos decepcionam. Por isso, essa foi a meta que menos cheguei perto de alcançar. Sou daquelas pessoas que tem o dom de voltar de um sebo com  mais livros do que levou. Os sebos são minha perdição, mas não dá pra resistir a um lugar onde você corre o "risco" de encontrar qualquer livro. Não tenho ideia de quantos livros comprei esse ano, mas acredito que não foi muito menos que nos anos anteriores.

Mas, de qualquer forma, fico feliz de ter alcançado pelo menos parte das metas. Talvez isso me discipline, fazendo com que eu seja mais seletivo na aquisição de livros e realize meu desejo de um dia ir a uma livraria porque não tenho nada novo pra ler. Não sei o que isso há muito tempo. Mas o que importa é continuar me entregando à leitura e a tudo de bom que ela nos proporciona.

Um feliz ano novo a todos!