domingo, 15 de outubro de 2017

Segredo de Sangue - Tess Gerritsen


Sinopse 

Um crime volta para cobrar mais vítimas no novo caso da detetive Jane Rizzoli e da legista Maura Isles. Cassandra Coyle, 26 anos, roteirista e produtora executiva de filmes de terror independentes, encontrada morta com os dois globos oculares arrancados e deixados na palma de sua mão esquerda. Timothy McDougal, 25 anos, contador, encontrado morto na véspera do Natal num píer com três flechas enfiadas em seu peito. Dois homicídios completamente distintos com uma única relação: a causa da morte é uma incógnita. Resta à detetive Jane Rizzoli e à legista Maura Isles solucionar o mistério antes que o assassino faça sua próxima vítima.

Resenha 

Essa é a série policial que mais amo no momento e fiquei muito feliz pela Record não ter demorado em publicar esse lançamento no Brasil, como geralmente acontece. O livro saiu lá fora em agosto e chegou aqui um mês depois. Tess continua em plena forma. É impressionante como ela tem mantido a qualidade mesmo doze livros depois. Um título ou outro mais fraquinho, mas a autora não demorou a reencontrar seu caminho e nesse livro traz todos os elementos que eu amo em seu estilo. Cenas de autópsia, perícia criminal, humor e os dramas pessoais dos personagens fixos que eu curto tanto, tudo na dose certa.

Encontramos Maura tendo de encarar situações não resolvidas em sua vida, como a aversão pela mãe biológica Amalthea e tudo o que ela representa, levando-a mais uma vez a questionar se o fato de ter escolhido lidar com a morte como profissão tem a ver com às suas origens infames. E o reencontro com Padre Brophy que a leva a avaliar se vale a pena insistir nessa relação proibida. Adoro a Maura e torci muito para que dessa vez ela tomasse uma decisão que a fizesse feliz. Enquanto isso, Rizzoli está mais burra do que nunca, tropeçando em indícios, mas incapaz de saber como encaixá-los. Admiro demais a personagem, pela sua força, coragem, ética e, principalmente, pelo quanto ela evoluiu no decorrer da série, mas muitas vezes ela age como uma toupeira. Não fosse a perspicácia de Maura, a investigação não andaria.

A trama policial é ótima. Com exceção de algumas cenas desnecessárias no início, como longos discursos no velório de uma vítima, coisa que acho um tédio, o ritmo é muito bom. Os crimes são brutais e conforme os investigadores vão fazendo as conexões entre eles e, com a ajuda de Padre Brophy, encontrando as referências religiosas nos assassinatos, a trama fica irresistível. Quanto mais se descobre sobre as ligações entre as vítimas, novos temas vem à baila, entre eles um escândalo sexual do passado, além de uma personagem bastante controversa que vive rondando as cenas de crime e me deixou o livro todo em dúvida sobre sua verdadeira índole.

O enredo é tão capcioso e escrito com tanta habilidade que sempre que eu começava a criar uma suspeita a autora me dava uma rasteira e virava o jogo. Talvez o mistério nem seja tão difícil de solucionar assim para quem fizer uma pausa na leitura e analisar as pistas, mas a leitura é tão contagiante que eu não queria parar. Pela impetuosidade como os acontecimentos foram se precipitando nas páginas finais, achei que a autora não nos daria todas as respostas, deixando algumas coisas a serem presumidas pelo leitor, mas tudo é muito bem explicado, inclusive os detalhes sobre um crime do passado. Só fiquei um pouco triste com a maneira como a autora se esforçou para dar um final conclusivo aos personagens fixos da série. Tess aparou tão bem as pontas soltas que não ficou nenhuma pendência para um próximo volume. O que me deixou com uma leve impressão de que esse seria o último livro da série. Espero que não, que a autora crie novos conflitos para seus personagens, porque não quero ficar órfão desse pessoal que aprendi amar.










Nenhum comentário:

Postar um comentário