segunda-feira, 17 de abril de 2017

Vida Dupla - S.J. Watson



Sinopse

Quando Kate é assassinada, a única forma que sua irmã Julia encontra de lidar com o luto é fazer o trabalho da polícia: procurar o assassino. Porém, ao descobrir que a irmã tinha perfis em sites de relacionamentos para conhecer homens e fazer sexo com eles, virtual ou não, o que antes era uma busca por um criminoso se torna uma exploração de suas fantasias sexuais mais secretas. Quando conhece o atraente Lukas, ela se entrega a um relacionamento que a faz se sentir viva novamente, após anos de um casamento onde a paixão há muito se apagou. Mas entrar nesse mundo coloca em risco seu casamento, sua família e sua própria vida.

Resenha

Apesar de se tratar claramente de um enredo policial, com um assassinato misterioso e tudo mais, no início do livro todo o clima de suspense é afogado pelos dilemas da protagonista, o que torna a narrativa bastante lenta. Julia é uma mulher de trinta e poucos anos que tem uma vida financeira estável, faz alguns bicos como fotógrafa mais como hobbie do que por necessidade, tem um casamento morno e um filho adotivo, que na verdade é seu sobrinho, filho de sua irmã, com quem tem uma relação conflituosa. E são esses desentendimentos que a fazem se remoer de culpa quando descobre que sua irmã foi assassinada. É totalmente justificável esse sentimento, o problema é que Júlia se culpa por tudo durante o livro inteiro. Ela se culpa por ter se afastado da irmã, se culpa por trair o marido, se culpa por mentir para o amante. Seu discurso é uma interminável ladainha de autorecriminação que ao invés de me fazer sentir empatia pela personagem, só me deixou irritado. Por todos esses dilemas o início do livro me exigiu perseverança pra continuar. Não que seja arrastado, mas a ação é mais psicológica. Acompanhamos a dor de Julia com a morte da irmã, sua decisão de investigar por conta própria seu assassinato ao descobrir que ela se encontrava com homens que conhecia pela internet e sua incursão nesse mundo com o qual não tem nenhuma familiaridade. Em sua narrativa em primeira pessoa a personagem compartilha conosco seus receios, suas descobertas e enfim os prazeres que escondem essa sua aventura.

Lá pela terceira parte o ritmo do livro começa a intensificar e o suspense então só aumenta. Muitos acontecimentos são previsíveis, mas não de uma maneira que me fizesse perder o interesse pela trama e sim no sentindo contrário, aguçando ainda mais minha curiosidade. Sabia que determinado fato aconteceria, mas queria saber quando, como e qual seria a reação dos personagens. E muita coisa me pegou de surpresa também. Foi agoniante acompanhar a protagonista se emaranhado cada vez mais na teia de seus próprios erros, presa numa armadilha devido sua imprudência, num jogo em que cada passo podia representar a sua destruição e a de sua família. Por muitas vezes xinguei Julia por ser tão tola a ponto de se envolver daquela forma com um completo desconhecido, por não questionar se o que ele dizia sobre si mesmo era verdade, e de manter o relacionamento mesmo quando suas desconfianças começaram a surgir. Mas em outros momentos compreendia que sua ingenuidade não era burrice, que até as pessoas mais espertas estão sujeitas a passar por tal situação.

Quanto ao final, acertei algumas coisas, outras me pegaram de surpresa, mas em relação ao assassinato da irmã de Julia ficou tudo muito bem explicado. Não houve nenhuma ponta solta, achei a solução plausível, o problema foi o destino dos personagens. O livro se encerra numa cena muito tensa, cujo desfecho fica em aberto. Em livros policiais não tenho muito interesse em saber o que aconteceu com os personagens depois que tudo se resolve. Pra mim tanto faz quem ficou com quem, que rumo fulano seguiu na vida ou como se recuperou de um trauma. Mas nesse caso a cena tinha um dilema forte e foi cortada abruptamente. Me senti no vácuo quando terminei a última página. Mas não vou detonar o livro por causa disso. Essa falta de desfecho não é um mero detalhe a ser descartado, o autor poderia ter se esforçado um pouco mais para concluir seu livro de modo digno, mas isso não apaga as boas horas de leitura que a trama me proporcionou.

Além disso, o livro é um grande alerta sobre os perigos que se escondem por trás das redes sociais. Não dá nem pra afirmar que somente o uso indevido da internet nos deixa vulneráveis, pois todo o cuidado que possamos ter nem sempre é o bastante quando há alguém do outro lado com intenções maliciosas. Mostra o quanto ações aparentemente fúteis, como postar uma foto no facebook, usar um localizador no celular ou acessar um site de relacionamento nos deixam expostos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário