sábado, 22 de abril de 2017

A Lista do Nunca - Koethi Zan


Sinopse 

Após um acidente de carro que sofreram quando ainda tinham dez anos, Sarah e Jennifer, amigas inseparáveis, passaram anos escrevendo o que chamaram de Lista do Nunca: uma lista de ações e atitudes que deveriam ser evitadas, a qualquer custo, para que se mantivessem a salvo.
Numa noite, no entanto, ao entrarem em um táxi, as garotas foram sequestradas por um adepto do sadismo, elas ficam acorrentadas em um porão com mais duas garotas por três anos. Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah ainda tenta levar uma vida normal. Seu contato com pessoas é mínimo. Seu sequestrador, porém, está prestes a conseguir uma condicional e, mais do que preparar um belo discurso de vítima, Sarah sente que este é o momento de agir. Para isso, vai enfrentar seus terríveis traumas em busca de uma história que nunca fora revelada.

Resenha 

Esse livro foi uma indicação da Luna, leitora aqui do blog. Nunca tinha ouvido falar, mas li a sinopse, achei irresistível e logo fui atrás do livro. O resultado foi uma leitura rápida, absorvente, mas com alguns senãos. O livro começa falando brevemente sobre a convivência de Sarah e Jennifer, duas amigas que após um acidente apegam-se tenazmente à lista do nunca, uma série de regras que visam fazer com se que se sintam seguras. Porém, quando abrem uma exceção entrando num táxi, elas são sequestradas pelo motorista. Assim que isso acontece o livro dá um salto no tempo e encontramos Sarah já com seus trinta e poucos anos, sofrendo de uma grave fobia social, o que a obriga a viver confinada em seu apartamento com quase nenhum contato com o mundo exterior.

Mas chega o momento em que a protagonista precisa enfrentar seus medos e a iminente condicional de seu sequestrador é o que a motiva a sair dessa cápsula protetora e procurar uma maneira para que ele não saia da cadeia. É bem curioso acompanhar Sarah retornando ao mundo exterior, se aproximando das pessoas com hesitação e ainda presa às regras da lista do nunca. É como se ela estivesse engatinhando novamente, procurando se firmar num mundo que do qual fugiu. Mas a autora poderia ter explorado esse seu trauma com muito mais profundidade. Um assunto tão em voga ultimamente merecia ser abordado com mais ênfase.

O livro faz algumas incursões no passado, narrando o período em que Sarah, Christine, Tracy e Jennifer ficaram presas no porão do sequestrador. Essas cenas permeiam toda a narrativa, são bem curtas, mas dão uma boa ideia dos horrores que as jovens passaram nas mãos de um sádico durante anos. A autora também fala um pouco sobre a vida pregressa de cada menina, desde sua infância até o momento em que suas vidas se cruzaram com a do sequestrador.

O livro tem um texto ágil, uma narrativa bem dinâmica, cheia de reviravoltas, tanto que as páginas corriam sem que eu percebesse. Mas o problema é que tudo é muito superficial. Não há muito esforço na construção dos personagens, algumas situações de tensão se resolvem rápido demais, não dá tempo de se envolver, e a investigação é muito corrida. É uma trama muito interessante, foge de muitos clichês seguindo por um caminho inesperado, tem momentos bem aflitivos e a ação é do início ao fim. Por isso curti a leitura, é um livro que te prende, com uma história impactante, só deveria ser melhor elaborado. Senti pressa na escrita. Agradeço muito a sugestão e quem tiver outras peço que coloque aí nos comentários. É muito bom conhecer novos autores.

3 comentários:

  1. Muito interessante esse livro. Nunca tinha ouvido falar dele, mas fiquei curiosa para ler. É sempre bom ler uma trama que foge dos clichês.

    Um abraço!

    http://meuslivrosesonhos.blogspot.com.br/2017/04/vestido-de-noivo-pierre-lemaitre.html

    ResponderExcluir
  2. Fico muito feliz que tenha dado uma chance a este livro! Eu o amo! Apesar de ter me tirado o sono durante vários dias e ter me feito ter medo de táxi (sério!), valeu muito a pena cada instante de leitura! Mexeu profundamente com as minhas emoções, me roubou o fôlego, me deixando bem angustiada com várias cenas. O livro é bem intenso e realmente tudo acontece bem rápido... temos a sensação de que o livro começou neste instante e no momento seguinte já acabou. Eu gostei muito disso.

    Entendo que você tenha achado superficial, já que sim, a autora não se aprofundou muito na construção da personalidade e traumas dos personagens. Mas sabe que não vi problema algum nisso? Talvez num outro livro sim, mas neste foi algo que até apreciei. Porque me deixou muito à imaginação, sabe. Eu lia muito nas entrelinhas. O livro me possibilitava ir além do que estava escrito, do que era mostrado.

    É provável que você já tenha lido os livros que recomendarei, mas caso não tenha lido:

    Identidade Roubada - Chevy Stevens (um thriller psicológico que não conseguimos abandonar antes de terminar a leitura)

    Corações Feridos - Louisa Reid (é mais um drama que um suspense. Muito forte, na minha opinião)

    Desaparecido para Sempre - Harlan Coben (o mais recente que li do autor. Sensacional! Um dos meus preferidos)

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desaparecido Para Sempre eu li e é espetacular. Identidade Roubada é um com o qual vivo topando e nunca compro. Mas deu vontade agora. E esse Corações Feridos quase comprei num sebo uma vez.

      Excluir