quinta-feira, 30 de março de 2017

Glória Mortal - J.D. Robb

Sinopse

A primeira vítima foi encontrada caída na calçada, na chuva. A segunda foi morta no próprio prédio onde morava. A tenente Eve Dallas, da Polícia de Nova York, não teve dificuldades para encontrar uma ligação entre os dois crimes. As duas vítimas eram mulheres lindas e muito bem-sucedidas, mas que mantinham relações que poderiam provocar suas mortes. Suas vidas glamourosas e seus casos amorosos eram assunto na cidade, assim como suas relações íntimas com homens poderosos.

Resenha

Depois de um ano resolvi dar andamento à série mortal de J.D. Robb, pseudônimo de Nora Roberts. Não que não tivesse gostado do primeiro livro, mas não é um tipo de série que tenha me deixado louco para ler cada volume. Como a autora é mais conhecida pelos seus livros românticos, antes de começar achava que a parte policial seria só um pretexto para mostrar o romance entre a detetive Eve Dallas e o milionário Roarke, mas a trama policial fica em primeiro plano e é muito bem conduzida, o que me decidiu a continuar acompanhando a série.

Cada vez gosto mais de Eve Dallas, uma mulher que, apesar do passado sofrido, não se vitimiza. Pelo contrário, as dificuldades pelas quais passou somente a deixaram mais forte. Exceto quando se trata de Roake, o milionário por quem se apaixona. Eve é muito cautelosa em não se jogar de vez nesse romance. Roarke é o tipo de herói idealizado, lindo, rico, poderoso e apaixonado. Ou seja, tudo o que uma mulher deseja e por isso mesmo ele parece bom demais para ser verdade. Eve ainda reluta em se envolver, mas nesse livro a achei mais solta, curtindo melhor a relação, o que não a impede de dar o sinal vermelho à cada avanço mais ousado que seu amante dê no sentido de estabelecer um compromisso.

Uma coisa que me desagrada na série é sua ambientação no futuro, a partir do ano de 2058. Apesar de ser um diferencial, esse é pra mim o maior defeito da série. Sempre que se mencionavam androides, viagens interplanetárias e geringonças esdrúxulas o clima de suspense esfriava pra mim. Sei que a mistura de policial e ficção científica já rendeu ótimos livros policiais, mas no caso da série mortal eu não curti. No primeiro livro ela pegou mais leve e muitas vezes nem parecia que a história se passava no futuro, mas nesse a ambientação me incomodou. Acho que a trinca romance/suspense/ficção científica não casou.

Quanto à trama policial, que para mim é o mais importante, desta vez achei a investigação muito mais empolgante e menos previsível que no primeiro livro. Apesar de haver mais de uma vítima o enredo fica muito mais focado na primeira delas e em sua família. A autora compõe muito bem cada personagem e explora muito bem as relações familiares. A investigação revela os podres de cada membro da família o que só vai gerando mais conflitos entre os suapeitos e a tenente Eve Dallas. O final foi bem surpreendente, apostei numa pessoa como culpada, mas a autora levou a trama para um caminho totalmente diferente do que eu pensava, o que achei demais. Fico um pouco frustrado quando acerto o assassino. Gostei da leitura, nada muito vibrante, mas escrito com competência.



2 comentários:

  1. Olá Ronaldo.
    Apesar de ser uma série muito comentada nos meios literários o único que li até agora foi Nudez Mortal.Eu gostei,achei interessante o enredo policial do livro mas não me agrada ser situado no futuro. Acho que isso me impede de dar continuidade a essa série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso me desanimou um pouco também, mas é uma série que lerei bem devagar.

      Excluir