quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Jantar Secreto - Raphael Montes




Sinopse

Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que sequer cogitavam existir em cada um deles.

Resenha

Apesar de ser um grande fã do Raphael, relutei muito em comprar esse livro pelo fato que canibalismo não está entre meus temas preferidos. Não tenho estômago pra essas coisas e só essa capa, apesar de muito bem elaborada, me dava náuseas. E, julgando um livro sem nem ler a sinopse, decidi que pularia essa obra do autor. Mas depois de passar muitas vezes por ele na Livraria Cultura sem me dignar a sequer dar uma folheada, resolvi dar uma espiada na sinopse e foi o suficiente para me seduzir. A história de quatro jovens estudantes que dividiam um apartamento no Rio, passando por dificuldades financeiras e os infortúnios que os levariam a se envolver com jantares de carne humana era irresistível. Os quatro protagonistas, amigos de infância, não poderiam ser mais diferentes e o autor faz questão de ressaltar as peculiaridades da personalidade de cada um deles. Até mesmo os cursos que faziam eram completamente diversos, mas as habilidades de cada um seriam fundamentais para a série de acontecimentos bizarros que estavam por vir. Dante, o administrador de empresas gay, narrador da trama; O ético estudante de Medicina Pedro; O vaidoso chefe de cozinha Hugo e o obeso técnico de TI, Leitão.

É impressionante a maneira como as vidas desses quatro rapazes vira  do avesso de uma hora para outra e como uma situação crítica vai conduzindo à outra, numa comédia de erros macabra, que à cada capítulo os embaraça numa verdadeira teia. Quando você acha que desceram ao fundo do poço, tem sempre um pouco mais a se afundar. O livro tem muitas reviravoltas, muitas delas imprevisíveis, que só aguçava minha curiosidade em saber onde aquele rio de sangue ia levar.

E por falar em sangue, Raphael não nos poupa dos detalhes mais repulsivos. Todo o processo de consumo de carne humana é descrito em minúcias, do corte da carne, passando pelo preparo até a degustação. A naturalidade com a qual a carne humana é tratada como uma iguaria chega a dar calafrios. A maneira cínica como alguns personagens encaram os jantares secretos, a perversidade e o desprezo pela vida humana me enojaram. E me senti mal com as cenas de extrema violência, na qual seres humanos eram tratados como presas de uma caçada covarde.

O livro dosa muito bem o horror, o suspense e também o humor, tudo isso temperado com muitas referências da cultura pop, todas elas pertinentes ao enredo. Tudo é muito atual, com termos como Netflix, Uber e Masterchef surgindo à todo momento. Uma linguagem moderna, incluindo até mesmo um capítulo no whatsapp. O autor dá uma brasilidade deliciosa aos personagens, mostrando que o termo tupiniquim não precisa ser pejorativo. Os conflitos entre os protagonistas vão se adensando até que uma amizade de infância se transforme numa rivalidade, um jogo de vida e morte, onde as divergências entre eles cria uma atmosfera de tensão crescente. Quanto ao final, confesso que foi previsível, mas em partes. Acertei umas coisas, outras não, mas o autor não deixa pontas soltas. O autor conseguiu mais uma vez se superar, criando um livro que, sem trocadilho, merece ser devorado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário