sábado, 12 de novembro de 2016

A Garota no Gelo - Robert Bryndza



Sinopse 

Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o asassassino se aproxima dela. Com a carreira pendurada por um fio Erika enfrenta várias dificuldadea no caminho, inclusive o assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.

Resenha

Antes de tudo, desconsiderem todo o marketing envolvendo comparações com Garota Exemplar e A Garota no Trem. A única semelhança desse livro com as obras de Gillian Flynn e Paula Hawkins é esse já batido "garota" do título. Apesar de todos os três compartilharem o mesmo gênero, que é o suspense, não há nenhuma semelhança entre o estilo de Robert e o das outras escritoras. Afastando-se das abordagens pouco convencionais muito em voga ultimamente, o autor faz o caminho inverso e nos oferece um clássico romance policial, que remete muito ao estilo de Agatha Christie do que aos ousados romances atuais. E embora muita gente possa dizer que o autor tenha caído no clichê, eu acredito que vale muito mais um clichê bem escrito do que um livro inovador onde o autor meta os pés pelas mãos.

Erika Foster, a protagonista foi o primeiro grande acerto do livro. Uma mulher com um passado trágico, que aos poucos vai nos sendo revelado. Apesar de ser uma mulher amarga, criei uma grande empatia por ela, devido à tragédia em sua vida pessoal e por sua ânsia em se agarrar ao trabalho como forma de manter a sanidade. Erika é uma profissional e tanto, perspicaz, dedicada e com muita coragem de defender suas convicções, mesmo que isso lhe custe consequências sérias. Por vezes impulsiva demais, ela acaba tomando atitudes radicais para provar que está na trilha certa, mostrando que apesar de muito intuitiva, tem pouca inteligência emocional para lidar com toda a politicagem na polícia.

Quanto à investigação em si, esperava um pouco mais de detalhes sobre perícia criminal. Achei que o autor fosse seguir pelo caminho de Tess Gerritsen, mas, apesar de haver um pouco de medicina forense no enredo, através da qual Erika obtém pistas importantes para chegar à verdade, a investigação se baseia muito mais nos interrogatórios dos envolvidos com a vítima do que em pistas científicas. E é nisso que o livro mais se assemelha aos clássicos policiais. Tem até mesmo uma família da alta sociedade inglesa, cheia de conflitos, onde alguns dos membros são suspeitos do assassinato da garota do título. O autor explora muito bem a personalidade de cada um, faz um excelente retrato dos bastidores do poder, onde investigações podem ser prejudicadas pela intervenção de gente poderosa e mostra a hipocrisia que há entre os muito ricos.

Mas a cereja do bolo foi a inclusão do ponto de vista do assassino. Quando a investigação já está num momento avançado e Erika demonstra estar no caminho da verdade, passamos a ter acesso à voz do criminoso, que circula pelos acontecimentos de modo incógnito, fazendo com que o suspense só aumente. Foi sensacional acompanhar seus pensamentos, ações e reações, sem conhecer sua identidade. Confesso que achei a revelação do culpado previsível, pois bem antes do final eu já tinha quase certeza de que era realmente aquela pessoa, mas o livro teve alguns desdobramentos tão desconcertantes que fiquei curioso em saber o real motivo dos crimes, pois há várias mortes. Quanto à detetive, gostaria de ter conhecido um pouco mais sobre o seu passado, mas como se trata de uma série, isso será certamente abordado nos próximos volumes, que espero serem logo publicados. Por ora foi um ótimo começo de uma série que promete.

2 comentários:

  1. Olá Ronaldo!!Comprei esse livro assim que vi a sinopse e agora com sua resenha fiquei ainda mais feliz por te-lo adquirido.Apesar de apreciar esses novos gêneros do suspense policial as vezes uma volta aos clássicos vai bem.Vou botar esse livro na frente da fila..excelente resenha!!Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, fico feliz por concencer alguém a lê-lo, pois curti bastante.

      Excluir