domingo, 11 de setembro de 2016

Flores Partidas - Karin Slaughter



Sinopse

Quando Lydia contou para a irmã que o cunhado havia tentado estuprá-la, Claire não acreditou. Dezoito anos depois, porém, tudo o que Claire achava saber sobre o marido se provou uma mentira. Quando vídeos escondidos no computador de Paul mostram uma face terrível do homem que ela julgava conhecer, Lydia percebe que o drama de sua família tem muitas camadas que precisarão ser descobertas antes que a assustadora verdade por fim venha à tona. Mais de vinte anos atrás, a família Delgado sofreu um grande trauma: a caçula, Julia, desapareceu sem deixar rastros. Até que um acontecimento trágico reaproxima as irmãs, que se unem em uma trégua relutante para, vasculhando o passado, buscar respostas. Mas essa jornada vai trazer à tona segredos que destruíram a família décadas antes, junto com uma chance inesperada de redenção.

Resenha

Atualmente muitos escritores têm seguido uma tendência controversa na literatura em criar heroínas fora do convencional. Digo que é um caminho controverso porque é uma manobra arriscada. Grande parte dos leitores ainda se apega àquelas protagonistas idealizadas, com as quais é fácil se identificar. São poucas as protagonistas fora do convencional que conseguiram me conquistar ou me convencer, mas no caso desse livro, Karin foi muito bem sucedida na construção de suas personagens. Claire é uma mulher na meia idade, que veio de um lar marcado pela tragédia, mas que tem um casamento feliz com um homem rico, poderoso e que a cumula de atenções. Claire tinha tudo para ser uma dondoca fútil, mimada e super protegida. Mas ela não é nada disso. Tanto que logo no primeiro capítulo a encontramos sozinha num bar, aguardando o marido, recém saída em condicional, após uma breve temporada na cadeia. Sua irmã Lydia não fica atrás. Apesar de ter encontrado estabilidade em sua vida, dona do próprio negócio, com uma filha adolescente e um namorado apaixonado, ela já aprontou das suas em sua juventude. Mas o que realmente lhe deixou marcas profundas foi o rompimento com Claire, após ter acusado Paul, marido da irmã, de ter tentado estuprá-la.

Com a morte de Paul, que ocorre de forma dramática logo no início do livro, as duas se reencontram e ao descobrir fatos obscuros sobre o marido ao remexer em seu computador, Claire se reaproxima da irmã. À medida que ela vai chafurdando na lama que o marido deixou pra trás, mais podres vão surgindo e as descobertas atingem Claire de modo tão dilacerante que eu me via cada vez mais emaranhado naquela história, dividindo o sofrimento com a personagem e cada vez mais curioso sobre até onde os segredos de Paul poderiam levar. É comovente a reaproximação das duas irmãs. Dolorosa, hesitante cheia de ressentimentos. Um reencontro que traz à tona muitas mágoas do passado, além de remexer na ferida nunca cicatrizada que é o desaparecimento nunca solucionado de Julia, a irmã caçula. Karin explora todo esse turbilhão de emoções sem cair no melodrama, mantendo a elegância de sua escrita, mas sem nenhuma reticência em exumar todos o sofrimento que permanece enterrado no coração de cada uma daquelas pessoas.

E, como se já não bastasse tanto mistério e emoção, passando da metade do livro a autora dá uma reviravolta, alterando completamente o jogo. Confesso que antecipei essa revelação devido a algumas pistas que foram deixadas no caminho, mas não esperava que esse acontecimento pudesse me deixar em tamanha dúvida a respeito do verdadeiro caráter de um determinado personagem, torcendo para que ele me surpreendesse e se redimisse, mas cada vez mais desconcertado com suas atitudes.

O livro tem um ritmo constante, dando tempo para que absorvamos a intensa carga dramática, nada corrido nem lento demais, exceto nas cem últimas páginas onde a autora se torna excessivamente descritiva nas ações dos personagens, empacando a leitura. É uma página inteira pra narrar alguém atravessando a rua. Isso tirou um pouco do meu entusiasmo, fazendo com que eu demorasse mais do que pretendia para terminar. Mas, mesmo assim, foi uma das melhores leituras dos últimos tempos. Um livro pungente, ricamente escrito que me deixou impressionado com o talento dessa escritora. E quem quiser concorrer um exemplar de Flores Partidas, basta participar do top comentarista de setembro.







13 comentários:

  1. Gente e vc mega sumidooooooooo resolveu aparecer e postar horrores de resenhas kkkkkkk arrasooooo. Eu parei minha saga com protagonistas de suspense lá em Garota exemplar kkkkkkkk, eu to muito numa vibe mais livros contemporâneos agora.. claro que eu sempre estou nessa faixa kkkk mas tem lançado muito livros bons do gênero e espero que venha mais lançamentos incriveis agora que passou a bienal. (Vc ainda não postou suas compras)... abração Guto

    ResponderExcluir
  2. Olá Ronaldo!
    Já conheço a escrita da Karin Slaughter através do livro Fissura,o qual me agradou bastante.Já havia lido a sinopse de Flores Partidas e já me chamou atenção à primeira vista.Gosto bastante desse lance de protagonistas não convencionais,vários já me surpreenderam bastante porém concordo com o que disse:não é sempre que o autor acerta a mão nisso.
    Resenha me deixou querendo o livro pra ontem.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. ué?? cadê a postagem da bienal que sumiuu??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fui editar pelo celular e excluí sem querer. Toin. Mas o texto estava salvo, daqui a pouco eu republico.

      Excluir
  4. Nossa,esse livro parece ser o máximo!
    Com toques de mistério, ressentimentos familiares e muito drama!
    Fiquei com pena da personagem Claire. Saber que passou boa parte de sua vida sendo enganada por alguém que parecia tão leal.
    Assim como também da sua irmã Lydia por ter que se afastar de alguém que gostava .

    Adorei sua dica de leitura. Pois como toda boa curiosa,amo um mistério! :)

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ronaldo! Nunca li nada da Karin Slaughter, mas gosto muito desse tipo de livro e, baseado nas suas resenhas sei que já posso confiar que temos um gosto muito parecido. Achei que essa ruptura entre as irmãs gerou muito pano pra história, gostaria muito de poder ler e ver por mim mesma como a autora explorou isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o livro tem muitos desdobramentos e a autora foi muito eficiente em explorar cada ângulo.

      Excluir
  6. Ola,
    Estou super curiosa para ler o livro, fiquei sabendo dele aqui no blog, e espero ter a oportunidade de ler em breve, e saber quais segredos essa família guarda, e saber mais sobre o que aconteceu com essas irmãs, e o que Paul escondia? Ahhh sou muito curiosa.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro esses livros que atiçam a minha curiosidade.

      Excluir
  7. Um dos lançamentos atuais que mais chamou minha atenção, é de longe o meu gênero favorito de leitura, a autora conseguiu fazer personagens como você disse nada convencionais e que mesmo assim conquistam o leitor e nos fazem torcer para que tudo dê certo, a reaproximação das irmãs, o passado misterioso do marido morto e as descobertas que elas fazem só servem para provar que nunca conhecemos realmente o outro. Uma pena que no final a descrição de cenas tenha sido exagerada, mas no todo o livro parece excelente, uma grata surpresa em meio a livros medianos que estão sendo lançados atualmente.

    ResponderExcluir