sexta-feira, 30 de setembro de 2016

À Sombra de uma Mentira - Alex Marwood


Sinopse

Poucas horas depois de se conhecerem, Jade e Bel, ambas com 11 anos, veem-se envolvidas na morte de uma garotinha e tachadas de assassinas. As duas meninas são enviadas a diferentes reformatórios, onde recebem novas identidades e são instruídas a nunca mais entrar em contato uma com a outra. Agora elas são Kirsty, uma respeitável jornalista freelancer de Londres, e Amber, gerente de um parque de diversões no sul da Inglaterra. Quando Amber encontra um corpo em uma das atrações do parque, a mídia fica em polvorosa, e Kirsty, enviada para cobrir os assassinatos, acaba cruzando o caminho de sua velha conhecida. Com medo de que seu passado seja descoberto e exposto pelo frenesi da imprensa, Kirsty e Amber lutam para manter o segredo a salvo.

Resenha

Quando vi esse livro entre os lançamentos da Record, fiquei fascinado pela sinopse. E quando recebi o exemplar fiquei ainda mais entusiasmado com os elogios de Stephen King e até de Jojo Moyes (que não tenho em tão alta conta, mas é uma grande referência atual). O prólogo foi bem impactante, dando a impressão de que um livro vibrante me aguardava. Mas bastaram algumas páginas pra eu sentir exatamente o contrário.

Sabemos que as meninas foram condenadas ao reformatório por estarem envolvidas na morte de outra criança, mas não sabemos como isso aconteceu. O livro então intercala passado e presente, reconstituindo o fatídico dia em que o crime ocorreu e, nos dias atuais, apresenta as protagonistas já adultas. Ambers é a administradora de um parque de diversões, sem filhos e que vive com um namorado atraente e enigmático. É uma pessoa que se importa com seus colegas de trabalho, tentando ajudá-los em suas dificuldades das mais diversas formas. Porém, achei-a ingênua demais para uma pessoa que passou por tanta coisa ruim. Kirstie, por sua vez, é uma jornalista desconhecida, casada e com um casal de filhos, passando por dificuldades financeiras devido ao fato do marido se encontrar desempregado.

Apesar do início chato, das longas e maçantes cenas do cotidiano, do excesso de personagens e da falta de empatia por cada um deles, criei uma certa expectativa com o momento em que as heroínas se reencontrariam. Acreditei que a partir daí o livro decolaria, mas nada mudou. A história dá voltas e mais voltas sem sair do lugar. As páginas avançavam e eu não conseguia enxergar uma trama, apenas um emaranhado de acontecimentos desconexos. E nem mesmo a série de crimes que permeia o livro, com jovens aparecendo mortas pela cidade me instigaram.

Só me animei a continuar lendo por causa de um elemento ou outro que surgia na história e dava alguma emoção, porém eram situações que não davam em nada. Rendiam alguns bons momentos, mas logo o livro caía novamente no marasmo. Quanto ao final, foi totalmente previsível. A autora usou recursos tão amadores para escrever um enredo policial que não enganariam nem mesmo os leitores mais inexperientes. Se é que se pode dizer que o livro tinha um enredo. Não gosto de fazer resenhas depreciativas, tento sempre encontrar pontos positivos, pois sei que escrever um livro não é tarefa fácil, mas nesse caso, tive de me esforçar muito para encontrar algo bom pra dizer. Foi uma grande decepção.

12 comentários:

  1. Sinceramente eu estava com expectativas bem elevadas quanto ao enredo desse livro. E que pena que seja um livro maçante e sem surpresa nenhuma,quanto ao mistério do assassinato!

    Hoje mesmo li,que logo no início dá para "matar" a charada,que a autora tanto quis camuflar! ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu também estava muito curioso em relação a esse livro, a sinopse é muito boa, o trabalho de capa, achei que seria uma das melhores leituras do ano, ainda bem que li sua resenha.
    Complicado quando a sinopse é muito atrativa e o livro não entrega nada do que promete, a premissa é boa, tinha as meninas jovens e o assassinato, o período no reformatório e o reencontro que poderiam ser ganchos importantes e instigantes, uma pena que a autora não conseguiu desenvolver bem o que pretendia, o excesso de personagens, as mortes que aparecem uma atrás da outra só servem para fazer isso que você citou, pensar que haverá algo mais, quando é um livro regular.
    Vou deixar para ler mais para a frente, sem muitas expectativas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, uma sinopse como essa prometia muito.

      Excluir
  3. Putz Ronaldo!!
    Hoje mesmo vi esse livro e fiquei interessado nele..
    Pela sinopse imaginei que seria um livro daqueles.
    Mas pelo que você falou não fiquei animado.Quem sabe mais adiante
    eu possa dar uma chance a esse livro mas agora vou deixar passar.
    Que bom que você leu e postou a resenha,por que já estava na lista das próximas compras.Vou esperar mais um pouco.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bom?
    Que pena que o livro não foi como o esperado, e não gosto de livros que dão volta e não saem do lugar, o livro não me interessou.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  5. gente eu morro de rir quando vc lê um livro ruim kkkkkkkkkkkkkkkkkk ninguém merece DEUS ME LIVRE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você acha engraçado né? Que luta foi terminar isso. Nunca mais leio nada dessa fulana!

      Excluir
  6. Nossa, só pela sinopse eu já achei que só valeria a pena mesmo se elas realmente tivessem matado a criança e tivessem algo a esconder... Se a autora não conseguiu desenvolver bem os personagens acho que eu ficaria bem frustrada ao ler também :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tem um monte de temas bons, mas muito mal aproveitados.

      Excluir