quinta-feira, 28 de julho de 2016

Warcraft - Christie Golden



Sinopse


Essa é a novelização do aguardado filme de ação e fantasia Warcraft. Há muito Azeroth está em paz. Após expulsar os trolls, com a ajuda de Medivh, Guardião do reino, humanos vivem em paz com os vizinhos elfos e anões. Mas um novo mal desponta no horizonte, e a guerra ameaça engolfar mais uma vez os domínios do justo rei Llane. Uma raça temerária de invasores, os guerreiros orcs, insuflados pelo feiticeiro Guldan e liderados pelo monstruoso Mão Negra, fogem de seu mundo agonizante em busca de caça e oportunidades. Então, de lados opostos, dois heróis surgem, em uma rota de colisão que decidirá o destino de sua família, seu povo e seu lar.
Durotan, o líder honrado do clã Lobo do Gelo, quer apenas uma chance para seu filho recém-nascido. Lothar, o Leão de Azeroth, busca redenção. E assim começa uma espetacular saga sobre poder e sacrifício, na qual a guerra tem muitas facetas e todos lutam por algo.

Resenha


Esse é um tipo de livro que dificilmente eu compraria. Não sei nem ligar um vídeo game, não vi o filme, nem sei direito do que se trata o universo de Warcraft, mas quando vi o livro entre os lançamentos da Record, decidi arriscar num gênero novo. E não me arrependi. Warcraft foi uma leitura deliciosa. 

O grande foco do enredo é a rivalidade entre orcs, que após a destruição de seu mundo migram para Azeroth e humanos, que precisam defender seu território da invasão de uma raça que chega espalhando a morte. Do lado dos orcs temos como protagonista Deureon, um personagem que não demorou a me cativar. Com sua nobre dedicação à família, tudo o que ele quer é um lugar seguro para criar seu filho e conforme as coisas saem dos eixos, acompanhamos seus dilemas morais ao constatar que muito sangue inocente é derramado desnecessariamente em sua conquista a um novo mundo. Do lado dos humanos, o protagonista é Lothar, também um guerreiro nobre, que defende seu reino. Também gostei bastante do herói humano, apesar de achá-lo meio rabugento. Além disso, há muitos outros personagens fascinantes no núcleo dos humanos, que serviram para apagar um pouco o brilho do protagonista. O jovem mago Hadggar, o mago veterano Medivh, Rei Llane e a rainha Taria. Todos com papéis fundamentais nessa guerra entre duas espécies.

É uma história cheia de fantasia, mas que tem uma trama bem armada, repleta de intrigas. O que mais gostei foi das relações entre os personagens, os diversos conflitos que vão surgindo, o drama de cada um sendo explorado na medida certa, sem tornar o livro denso, mas também não superficial demais. Há uma ação crescente, que alcança um clímax impressionante conforme o confronto entre humanos e orcs se aproxima. Quanto ao final, só tenho uma reserva quanto a uma atitude tomada por um dos personagens humanos. Não entendi o motivo desse personagem se sacrificar daquela maneira. Quem leu e puder me esclarecer, agradeço.

Adorei o universo Warcraft e quero conhecer mais sobre ele. Calma, não vou aprender a jogar videogame a essa altura da minha vida, mas é um universo tão explorado em livros, mangás e contos que há muito a conhecer. Apesar de o livro ser conclusivo, há muito a ser contado sobre esse mundo de Azeroth.

2 comentários:

  1. Olha, Ronaldo...
    ... eu particularmente não gosto desses livros baseados em jogos (sempre acho que ficarão ruins) mas vou assistir a esse filme novo para ver se a trama me encanta. Quem sabe estou perdendo uma excelente fantasia.
    Abraços
    naciadelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez eu tenha gostado tanto por não conhecer o game, pois não tive como comparar.

      Excluir