quarta-feira, 4 de maio de 2016

A Profecia do Paladino - Mark Frost



Sinopse

Will West faz de tudo para passar despercebido. A pedido dos pais, ele se esforça para tirar notas medíocres e não se destacar. Mas quando sua escola o obriga a fazer uma prova de desempenho geral, ele acaba se esquecendo de errar algumas respostas. Seu resultado espetacular atrai o interesse de uma das escolas particulares mais exclusivas do país, que o procura para oferecer uma bolsa de estudos. No entanto, assim que recebe essa oferta, começa a ser seguido por homens misteriosos e sedãs pretos. Ao tentar escapar de perseguidores, seus pais desaparecem e Will acaba se matriculando às pressas no misterioso colégio. Chegando à sua nova escola, ele percebe possuir talentos físicos e mentais que beiram o impossível e descobre que suas habilidades estão conectadas a uma batalha milenar entre forças épicas.

Resenha

Nunca fui muito chegado a livros juvenis, exceto aos títulos da maravilhosa Coleção Vaga-Lume, que até hoje me fascinam. Mas vez ou outra me enveredo em alguma aventura escrita para o público adolescente que acaba me fisgando. Foi o caso de A Profecia do paladino, escrita pelo renomado roteirista Mark Frost. Confesso que decidi pelo livro ao verificar o admirável currículo do autor. O cara é um dos autores da série Twin Peaks, para terem uma ideia.

O texto leve, fluído, com um humor ingênuo te conduz à saga de Will West, um adolescente superdotado, que desde pequeno foi orientado pelos pais a esconder as suas habilidades extraordinárias. Esse fato já é intrigante por si só, até que coisas muito estranhas começam a acontecer, como o garoto ser perseguido por homens de preto e seus pais demonstrarem uma súbita mudança de comportamento, como se houvessem sido substituídos por réplicas, o que me remeteu ao clássico Os Invasores de Corpos. O autor abusa da imaginação, com os vilões a todo instante lançando mão de armas engenhosas na perseguição a Will.

Assim que a história se desloca para o colégio para adolescentes superdotados onde Will é admitido, o livro se torna ainda mais cativante. Surgem outros personagens com habilidades extraordinárias e toda a adaptação do garoto ao novo ambiente te repleto de cenas muito curiosas. Nova rotina, novas amizades e pequenos conflitos típicos de um adolescente.

O livro não prima pela originalidade, é uma história até mesmo bem batida. Alguém que leva uma vida pacata de repente se vê diante de grandes mudanças, descobre potenciais que não conhecia, reluta em utilizá-lo e conta com a ajuda de um sábio amigo para ajudá-lo a se autoconhecer e enfrentar grandes desafios. Mas Mark tem uma maneira bastante inusitada de descrever as aventuras de seu herói, além de caprichar na construção psicológica de seus personagens. Will amadurece consideravelmente no decorrer da trama e isso faz com que o leitor tenha empatia por ele. Esse é o primeiro livro de uma trilogia e é uma boa pedida para o público adolescente e aqueles adultos que querem uma leitura descomprometida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário