quinta-feira, 24 de março de 2016

Capa do filme versus capa original

Capa do filme ou capa original, qual vocês preferem? Acredito que os amantes de livros sempre vão dar preferência à original, já que muitas vezes a adaptação não é nada fiel ao livro e a capa vende uma imagem que não tem nada a ver com o que vai se encontrar nas páginas. Como, por exemplo, a foto de um ator que não corresponde em nada a descrição do personagem. E quando as editoras substituem as capas antigas pela do filme e a versão anterior desaparece do mercado? Muitas vezes somos obrigados a comprar um livro com a foto de um filme que detestamos. Mas há algumas capas de filmes que valorizam muito mais a história do que a capa original. Gostando ou não, de uns tempos pra cá se tornou obrigatório trocar a capa quando um livro é adaptado. Por isso, é melhor se acostumarem.


Eu até gostei da escalação de Bem Afleck para o papel de Nick, mas prefiro mil vezes a capa original por vários motivos. Primeiro é que é muito estranho você ver um livro com a palavra “garota” no título e dar de  cara com um marmanjo.  Tudo bem que há o sugestivo  olhar de Amy por trás dele, mas nem dá pra notar direito. Outro  motivo é que a capa antiga, além de linda, é muito mais sugestiva. Os cabelos esvoaçando, como se ela estivesse fugindo, as letras rosa, o fundo negro, traduzem muito bem a essência do livro.


No caso de Lugares Escuros, mesmo a capa original seguindo o mesmo belo padrão do livro anterior, fico com a capa do filme pelo fato de que é muito mais artística e mal dá pra identificar a Charlize Teron ali. 


Não gosto de nenhuma delas, mas prefiro a capa original pelo simples fato dela não exibir a cara de pamonha da Kristen Stewart. Além disso, a capa da maçã, se tornou um ícone. Tenho uma amiga que não gostava de ler, mas  de tanto ver pessoas no metrô lendo aquele “livro da capa preta”, se interessou e acabou virando uma leitora. Só por isso essa capa já virou um clássico. Mas qe parece capa de livro hot, isso parece.

Gostei muito da escalação dos atores em A Culpa É das Estrelas, mas não dá pra negar que a capa original se tornou uma verdadeira marca. Tanto que virou moda estampar objetos com o Okay, com as cores da capa no fundo.

No caso de O Senhor dos Anéis, a capa da edição unificada ficou primorosa,  além de facilitar muito a vida, botando toda a saga num volume só.



Em A Hospedeira, mais uma vez a capa original é mil vezes mais bonita do que aquele cartaz do filme. Eu tenho essa edição antiga e juro que um dia ainda lerei.


A 5ª onda teve duas capas do filme, mas nenhuma superou a original.


No caso dessa obra, primeiro ela foi lançada em fascículos, com o título de O Corredor da Morte.  Na ocasião do filme, lançaram essa capa com Tom Hanks que parece um daqueles cartazes antigos de cinema. Não curti. Mas a Suma das Letras teve o bom gosto de lançar uma capa tão sensível quanto o coração do gigante John Coffey. Sem falar na fonte bem mais legível que aqueles pontinhos microscópicos da Objetiva.


Cate Blanchet é linda, mas Carol tem muitas capas melhores que a do filme.


No caso de A Garota Dinamarquesa, não só a capa, mas o título também mudou. Desde o sucesso do livro de Gyllian Flynn, garota virou a palavra da moda.  Nesse caso não  gostei de nenhuma das capas.


O silêncio dos Inocentes é outro exemplo de livro que já chegou com a capa do filme. Posteriormente houve uma reedição na coleção Supersellers com uma capa nova. Já os demais livros da série, que também foram adaptados, tiveram mais de uma capa, exceto Hannibal. Achei que por causa da série haveria uma reedição, mas não rolou. E agora que cancelaram a série, acho mais difícil ainda darem alguma atenção a Thomas Harris. Também, o cara não publica um livro novo há milênios.


Essa onda de edições com a capa do filme não é recente. Foram lançadas duas edições de bolso de O Iluminado na década de 80 estampando Jack Nicholson na capa. Mas nenhum supera a última lançada pela Suma.



A reedição de Carrie é uma das capas que mais gosto, Carrie sangrenta é outro nível. Certa vez encontrei o livro com a capa do filme na edição de bolso por um valor ínfimo, mas fiz questão de comprar a edição tamanho normal. A Suma já havia relançado Carrie recentemente e a capa não era ruim. Aliás, notei que as capas de Carrie passaram por uma ''evolução das espécies'' no decorrer dos anos. As primeiras eram muito toscas.

Há casos como o de Nicholas Sparks, onde alguns livros só recebem a edição do filme. A minha capa preferida é a do querido John.


E por que será que a série Harry Potter, nunca recebeu edições com as capas dos filmes?

Espero que tenham gostado do post. Capas de livros têm se tornado cada vez mais relevantes e por isso terão um marcador exclusivo aqui no blog. Afinal, quem nunca comprou um livro pela capa?


5 comentários:

  1. Olá!
    Não vi, nem assisti Garota Exemplar, mas sou apaixonada pela capa do livro, muito lindaaa!

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é um dos meus livros preferidos, mas fez muito sucesso.

      Excluir
  2. Prefiro a capa original. A capa de filme na minha opinião fica estranho, parece q perde a essência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na maioria das vezes eu também prefiro a original.

      Excluir
  3. Olá , tenho sério problemas em comprar livros que tenham a capa dos filmes >.< porque venhamos e convenhamos , nenhum filme é tão fiel ao livro HiHi ( claro que tem alguns que fazem a adaptação muito boas , mas eu gosto do livro ) .

    Beijos ,
    Gleyce Garcia.

    www.psbelieveandlive.com.br

    ResponderExcluir