domingo, 24 de janeiro de 2016

Jogo Perigoso - Stephen King


Sinopse

Jessie e o marido resolvem passar um fim de semana de muito sexo na casa de campo do casal, num recanto do Maine. Para revitalizar o casamento, ela topa ser algemada pelo marido, satisfazendo suas fantasias. Porém, um incidente ocorre e Jessie se vê sozinha, diante do cadáver do marido e algemada à cama.Tudo muda naquele jogo e Jessie começa a viver os momentos mais terríveis de sua vida. Ao acompanhar sua agonia, o leitor vê-se enredado em mais uma narrativa eletrizante de King.

Resenha

Esse é o livro mais controverso de Stephen King. As opiniões sobre essa obra são muito divergentes e decidi encará-lo de uma vez para trirar as minhas próprias conclusões. O início é um marasmo. Sei o quanto Stephen é detalhista, mas geralmente sua narrativa meticulosa é envolvente, fazendo com que acompanhemos fascinados a construção de seus personagens. Porém, no caso desse livro, os primeiros capítulos são tão dispersivos que eu me sentia à léguas de distância da história. Stephen demora demais a armar o cenário para seu drama, mas, em compensação, quando isso acontece a história toma uma nova atmosfera e então pude reconhecer o velho mestre do terror.

Presa naquela armadilha do destino, Jessie tem como única companhia suas vozes interiores, cada uma representando um aspecto de sua personalidade. A Esposa Perfeita, que é o seu lado reprimido, a psicanalista Nora, que é seu lado racional e Ruth, seu lado rebelde. A protagonista tem um trauma do passado, relacionado a um abuso sexual, do qual sempre tentou fugir. Assim como está presa naquela cama, também está presa ao passado e aquela é a oportunidade de encarar seus complexos e superá-los. Essas vozes na cabeça de Jessie são um porre eu achei que o livro todo ficaria naquilo, até que dois outros personagens entram na história. O primeiro é um cachorro. No início, achei que sua presença seria uma espécie de conforto a Jessie. Acreditei que o animal lhe faria companhia naquela situação desoladora, mas estamos falando de Stephen King e não de Dean Koontz. Cães amigos não fazem muito o gênero do autor. O cão não apenas representa uma ameaça para a protagonista, que está totalmente vulnerável, como é o responsável por uma das cenas mais grotescas escritas pelo autor. O que o cachorro faz ao entrar no quarto é de revirar o estômago. Mas terror de verdade, quem nos reserva é o outro visitante. Um homem de preto que, postado num canto do quarto, observa Jessie e segura uma mala cheia de ... É melhor vocês mesmo conferirem o conteúdo da mala. Só adianto que esse cara me deu um medo da porra!

Stephen consegue explorar o desespero da personagem de forma sádica. Tomada por cãibras, cada movimento que Jessie dá é um martírio, mas ela reage e não desiste de escapar. O gesto de conseguir esticar a mão e agarrar o copo d’água na cômoda ao lado é narrado com a força de uma aventura épica. Comemoramos cada vitória da personagem como se fosse nossa.

Apesar de alguns tropeços, tenho de reconhecer a competência e a ousadia de Stephen King em preencher mais de quatrocentas páginas (minha edição é a de bolso), com um enredo tão limitado. O cara tira leite de pedra. Mais uma prova do talento desse singular escritor.

6 comentários:

  1. Olá Ronaldo! Não sabia da existência desse livro, mas parece ser muito interessante... Lendo sua resenha me lembrei de um livro dele que gostei demais, mas que também é bem ousado.. O nome dele é "Desespero". Já leu?

    Abraços!

    http://eventualobradeficcao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu curti muito a resenha e essa sua saga pelos livros do stephen não termina nunca kkkkkk. Eu preciso um dia ler algum livro desse autor, o que acabou com minha vontade de ler mais livros dele foi o final super bosta do Sob a Redoma. Foi horrivel péssimo. Há séries mais bosta ainda. Serio eu até tento, mas não consigo kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita coisa do King a ser lida ainda. Sob a redoma eu tenho o livro, mas ainda não li. Não vi ainda a última temporada da série, mas espero que o final do livro seja diferente.

      Excluir
  3. Olá Ronaldo!
    Adorei a sua resenha e concordo em diversos aspectos. Demorei bastante para terminar esse livro e achei ele bastante angustiante. Fiquei com muita dó do cachorro. Mas não curti o homem de preto. Preferia que a presença dele tivesse sido apenas imaginaria.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não curti muito ele ter se estendido tanto para dar a explicação.

      Excluir