quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Procura-se - Giovanna Vaccaro



  Sinopse

Ariane tem pouco tempo de vida. Desde os seis anos, sofre com a doença arterial coronariana, uma deficiência cardíaca genética; rara em pessoas jovens, mas fatal.
Para agravar a situação, após uma crise de insuficiência cardíaca, ela recebe a notícia de que deverá passar, o mais urgente possível, por um transplante de coração, caso contrário, seus dias estão por um fio. Porém, ela tem uma nova razão para pulsar: seu novo amigo Miles. Ariane se envolve em uma paixão “quase” perfeita – diante do difícil drama que enfrenta! Juntos, eles tentarão encontrar uma saída e farão de tudo para congelar o tempo e eternizar cada segundo que lhes resta, como um extenso fio de esperança que surge a seu futuro tão incerto.

Resenha

A premissa do livro me deu a ideia de uma história triste, com uma jovem sofrendo de uma doença incurável, mas tentando ser feliz durante o pouco tempo que lhe resta. Mas o tom da narrativa não tem nada de deprimente. Sentimos certa melancolia numa passagem ou outra, mas o clima preponderante do livro é de humor, positivismo e leveza.

No começo achei Ariane uma jovem implicante, rabugenta e muito crítica. Ela tem uma visão analítica apurada de tudo e todos ao seu redor. Porém, muito desse seu temperamento é interiorizado. Por fora ela é uma pessoa muito fácil de lidar. Uma filha obediente, uma irmã companheira e uma excelente amiga. A maneira como ela lida com sua doença, que a acompanha desde os seis anos de idade, é bastante admirável. Ariane é orgulhosa demais para compartilhar sua condição com todo mundo, por isso, pouquíssimas pessoas sabem de sua doença, o que é perigoso, já  que em seus momentos de crise, depende de uma medicação específica que é vital para sua saúde. A doença é a coronariana, da qual eu nunca havia ouvido falar, mas que Giovanna explica de modo sucinto, mas bastante esclarecedor.

O romance entre Miles e Ariane ocorre lentamente, de forma bem natural, sem joguinhos, com o casal cultivando uma promissora amizade. Não há pieguice na relação entre os dois. Formam um casal divertido, sempre fazendo brincadeiras um com o outro. Seus encontros têm geralmente uma mistura de romantismo e humor. Miles é direto, mas respeitoso, atrevido, mas cuidadoso, um cara seguro de si. Já Ariane é receptiva, mas evasiva, abre as portas de sua casa para ele, mas mantém uma distância segura, freando o entusiasmo do rapaz. E é justamente na mesma época em que conhece Miles é que descobre que tem apenas dois meses de vida caso não consiga um transplante

Achei a escrita de Giovanna coesa. Ela tem um senso de ritmo bastante apurado, sabendo conduzir cada cena, cada capítulo e emendar com a situação seguinte. Muitos parágrafos ou capítulos terminam com alguma frase de efeito, que ou te instiga a ler mais, ou finaliza o trecho de modo redondinho, demonstrando um capricho todo especial na escrita. Suas descrições dos personagens são vivas, geralmente acrescentando impressões pessoais da própria Ariane, já que a narrativa é em primeira pessoa.

Há alguns pontos negativos a serem ressaltados:

Callie, melhor amiga de Ariane sofre uma decepção com seu namorado Harry e decide se vingar. Foi um lance que movimentou bastante a história, mas acho que furar os pneus do carro do ex-namorado já seria de bom tamanho. Porém, a garota não se contenta com isso e apronta várias para seu ex, estendendo essa situação por várias páginas, o que tirou todo o foco da trama central. Sem falar que perdi totalmente a simpatia pela personagem, que acabou perdendo a razão. A garota alto astral e segura de si se tornou uma megera despeitada. A melhor vingança é arrumarem um namorado mais gato e se mostrarem superiores, meninas, é mais digno.

Mas o maior erro da autora foi o de desconsiderar a existência de uma fila de espera para transplante de coração. Você não pode reivindicar o coração de um parente ou amigo morto, só porque ele é compatível com o seu. Diferente de uma doação de rim, parte do fígado ou medula, que são doados em vida, no caso do coração, não há como deixá-lo de herança para alguém. Há uma fila de espera e por três vezes isso foi ignorado na história. Compreendo que foi uma licença poética, mas foi forçado.

Outro momento que me indignou foi quando Ariane decidiu procurar sua mãe após descobrir que precisava de um transplante. Nada disso foi dito claramente, mas ficou evidente que a garota queria que a mãe doasse seu coração para salvá-la. Primeiro, que, como disse acima, isso não seria possível. Ela queria o que, que a mãe se matasse para lhe dar o coração? Como a autora fez uma referência ao filme Awake, A Vida Por um Fio, usando-o como um precedente, acredito que tenha sido essa a intenção, mas o contexto do filme era totalmente diferente. Sem falar que achei  a atitude de Ariane de uma mesquinhez atroz.

Esses pontos prejudicaram em muito a história, mas são muitos os pontos positivos. O livro é permeado de frases motivadoras, todas sempre pertinentes à cada momento da narrativa. Os personagens são adoráveis, cada um tem um encanto próprio, que o difere dos demais, mas todos formam uma grande harmonia. E o final tem uma linda justiça poética.

Procura-se está entre os melhores livros nacionais do ano na votação do blog Leitura Virtual, chegando ao primeiro lugar no resultado parcial. E dá para se entender o motivo. Com apenas quinze anos, a autora sai na frente de muito marmanjo por aí, com um texto de qualidade, combinado a uma bela história. E o lado bom de começar tão jovem na literatura é que, quanto mais cedo se começa, mais tempo se tem para se aperfeiçoar e lançar muitos outros títulos.
                                                         



2 comentários:

  1. Nossa, gostei demais da sua resenha e o livro parece ser íncrivel, vou procurar saber mais!

    Beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um excelente livro, principalmente para o público adolescente.

      Excluir