quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Melhores momentos da Bienal Rio

Todo leitor assíduo aguarda ansiosamente que a Bienal aconteça acontece em sua cidade. Mas alguns são mais fanáticos e se a Bienal não chega até eles naquele ano, eles vão até a Bienal. E foi o meu caso. Não satisfeito com a de 2014 aqui em São Paulo, tive de comparecer à do Rio de Janeiro no mês passado. E, conforme exigência do Guto, do blog Consumindo Sagas, aqui vão os melhores momentos do evento.

Quem vai à bienal para comprar livros, acreditando que haverá ofertas imperdíveis, se engana. São raríssimos os livros em promoção. Mesmo assim não me contive e nos dois dias que compareci tive de trazer algumas coisas, mesmo estando minha lista de não lidos beirando os 20 volumes. Caixa de Pássaros eu já havia lido, mas era emprestado. E como o Josh estaria lá no dia seguinte, precisava do livro para receber o autógrafo e então uni o útil ao necessário, além disso, foi um dos raros casos de oferta eu encontrei. Dias Perfeitos eu também já tinha, mas não levara comigo e comprei pelo mesmo motivo do livro do Mallerman:  para ser autografado.  Estava louco para ler algo da Anne Holt e não resisti ao 1222. Zoo de James Paterson é outro que já cobiçava. Apesar de não gostar muito de John Katzenback, o preço de E o Que Vem Depois foi tentador demais. Não vou comentar todos, mas os que mais se destacarem serão resenhados, como já o foi o caso de O Dom, de Robert Ovies


A maior atração internacional foi, sem dúvida, Josh Mallerman, autor do excelente Caixa de Pássaros. Depois de quase duas horas na fila, cheguei lá e descobri que não poderia tirar fotos com meu celular. Mas havia um fotógrafo da editora que registraria o momento de cada participante e em três dias as fotos ficariam acessíveis no site da Intrínseca. Não acreditei muito que todos os fãs teriam a foto publicada lá. Mas cumpriram o prometido e o resultado está aí: uma foto muito melhor que as tiradas com me celular zoado. E Josh até que foi bem polido.


A Novo Século, além de ser  a editora com mais promoções (15 por cento de desconto em diversos títulos), teve um diferencial bem bacana. Vários autores nacionais estavam presentes, divulgando seus trabalhos. Apesar de às vezes ser um tanto incômodo você ser abordado a todo instante por um escritor tentando vender seu peixe, achei legal essa ideia de aproximar autores e leitores dessa forma.




Raphael  Montes foi um dos autores que mais me motivaram a comparecer à bienal. Havia perdido a noite de autógrafos dele aqui em São Paulo na livraria Cultura e gostaria muito de conhecê-lo, até porque já havíamos conversado pelo skoob e  pelo facebook. Raphael é um cara super aberto, que tem uma relação de interatividade muito intensa com seus fãs e pessoalmente não foi diferente. Muito simpático, conversamos bastante sobre seu novo livro, O vilarejo.



Alguns estandes estavam de encher os olhos. Na Suma das Letras havia modelos, segundo dizem hollywoodianas, com o figurino da capa de Joyland, de Stephen King. A Universo dos Livros exibiu num telão um trailer de toda a série da Irmandade da Adaga Negra, A Leya montou um trono de ferro, em homenagem a Game Of Trhones, e muitas outras atrações.

Só tenho a reclamar da logística. O Riocentro, local onde ocorreu  Bienal, fica situado numa região afastada demais e devido a algumas obras, o desvio era por um caminho que não tinha nem pavimentação. Acostumado às facilidades de acesso da bienal aqui de São Paulo, onde há até fretados gratuitos do metrô até o Anhembi, estranhei bastante. Mas valeu muito a pena pois o problema foi apenas chegar e ir embora, lá dentro foi uma grande festa.  





6 comentários:

  1. Um dos meu grandes sonhos é participar da Bienal do Livro. Quem sabe ano que vem.
    Poderíamos organizar um entro de blogueiros literários. 😀

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bienal é uma delícia. Um encontro de blogueiros seria bem legal. Na próxima vou tentar agitar os blogueiros mais parceiros pra marcarmos.

      Excluir
  2. Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii aaté que enfim!! Você só funciona a base de pressão Ronaldo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk MEU DEUSSSSSSSSS vc comprou ZOO cara!!! É super acro e eu amo a série de TV caramba que invejaaaaaaaaaaaaaaaaa. E essa foto com o Josh é eternaaaaaaaaaaa. O post tá o máximo... Falow doido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só assim para você parar de me atormentar com essa história da bienal. kkkk. Zoo estava em promoção, não lembro o valor exato, mas estava bem barato. Quero ver a série, mas somente após terminar o livro. E o Josh, nem pra se levantar pra tirar foto comigo.

      Excluir
  3. Bom dia Ronaldo! Que legal. Fui apenas a uma Bienal! Preciso ser mais participante! Sempre visito seu blog! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As bienais são estão cada vez melhores, vá nas próximas, pois para quem gosta de ler é diversão garantida. Obrigado pelas visitas. Abraço.

      Excluir