segunda-feira, 7 de setembro de 2015

O Vilarejo - Raphael Montes

                                                                      Sinopse
       
A partir da associação de cada pecado capital a um demônio de nome diferente Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar. As histórias, apesar de independentes, se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

                                                                      Resenha

O livro na verdade é uma tradução de um manuscrito em cimério, adquirido por Raphael através de um livreiro. Não conseguindo alguém para fazer a tradução, o autor decidiu ele mesmo fazer o serviço e o resultado de sua livre tradução foi essa deliciosa e macabra coletânea de contos.
As histórias são curtas, mas muito envolventes e a escrita sedutora de Raphael nos captura já no primeiro parágrafo. Embora cada conto tenha cerca de doze páginas, as pequenas histórias conseguem se desenvolver com muita consistência nesse pequeno espaço, cativar o leitor e ainda apresentar finais bem amarrados. Algo difícil de se fazer em tão pouco espaço. Geralmente contos curtos ou são muito superficiais, narrando tudo às pressas e tirando assim o sabor da leitura, ou substanciais, mas com uma sequência limitada de acontecimentos, ou seja, não acontece muita coisa, o que não proporciona ao leitor emoções suficientes. No caso de O Vilarejo, os contos foram escritos de uma maneira tão habilidosa, que temos histórias muito bem estruturadas e narradas com um cuidado para manter a atmosfera sombria.

Apesar do livro ser de um horror atordoante, os contos falam de pessoas comuns que cedem às suas fraquezas e cometem as mais chocantes atrocidades. E é aí que está um dos motivos de O Vilarejo assustar tanto: ao mesmo tempo em que há a empatia do leitor com os personagens, que são tão comuns quanto o vizinho, o dono do mercado, o colega de escola, o namorado, há o horror pelas atitudes monstruosas de que essas pessoas são capazes. O Vilarejo é um microcosmo do nosso planeta, os moradores, um retrato da humanidade pintado com cores berrantes, mas nem por isso fantasiosas. E o que acontece naquele local é uma arrepiante galeria do que há de pior no ser humano e que, em alguns aspectos, pode estar mais perto do que pensamos. À cada conto cria-se uma expectativa em relação aos personagens, pois sabemos que em cada história alguém cometerá alguma barbaridade, mas nunca sabemos quem, quando e nem porquê. A punhalada pode vir de qualquer lado, por isso ficamos alertas, procurando a primeira pista, tentando vislumbrar a maldade na alma de todos os personagens.

Os contos são todos interligados, não só por se passarem na mesma cidade, mas há um entrelaçamento dos personagens. Raphael diz no prefácio que podem ser lidos em qualquer ordem, mas não recomendo, pois um conto pode entregar o final de outro. Além disso, o último forma uma unidade com todos os outros, dando uma explicação sobre alguns fatos e expondo uma moral da história, que dá ao livro um aspecto de fábula.

Sua escrita tem amadurecido muito à cada livro e em O Vilarejo alcançou uma solidez impressionante. Não sentimos nenhuma hesitação em sua narrativa. Pelo contrário, há uma segurança que permeia cada parágrafo, que constrói cada situação de modo convincente e que arremata tudo num final inesperado.

6 comentários:

  1. Adquiri este livro faz pouco tempo e já passou na frente de vários outros da minha lista de leituras.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma leitura tão rápida que nem compromete o seu cronograma.

      Excluir
  2. Já me considero um fã de Raphael. Sua escrita, narrativa é agradável, envolvente. Comecei ler O Vilarejo para finalizá-lo em 1:50 hs de leitura, mas de tão boa... que tirei o pé do acelerador para finalizá-la em 8 dias. Sempre faço isso quando a leitura é cativante, seja de início ou a metade... Próximo mês começarei ler suas duas primeiras criações.

    ResponderExcluir
  3. Ronaldo esse livro é o melhor!!!!!!!!!! Não acredito que vc já garantiu seu exemplar enquanto eu estou aqui nessa pobreza miseravel kkkkkkkkkkk cara amei as fotos da bienal seria muito incrivel estar lá!! PS: Ainda sem net, mas no face estou sempre kkk 3G kkkkkkk Abraços parceiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gutoooo! O Vilarejo é tudo de bom mesmo e o Raphael é uma simpatia. espero que providencie logo seu wi fi, suas postagens têm feito falta.

      Excluir