segunda-feira, 28 de setembro de 2015

O Colecionador de Peles - Jeffery Deaver



                                                            Sinopse

Um novo serial killer espreita pelas ruas de Nova York com sua mente doentia e perturbada. Conhecido como O Colecionador de Peles, ele é um tatuador que arrasta as vítimas para o subterrâneo da cidade, onde pode realizar sua arte sem ser interrompido. O problema é que, para criar suas obras-primas, em vez de tinta, ele desenha com venenos letais, causando mortes lentas e dolorosas.
Convocados para a investigação, o detetive Lincoln Rhyme e sua parceira Amelia Sachs têm apenas as mensagens criptografadas gravadas na pele das vítimas como ponto de partida.
Enquanto tenta descobrir o significado das tatuagens, a dupla segue por um caminho tortuoso em que nada é o que parece ser, e precisa correr contra o tempo para decifrar as pistas que encontram, antes que O Colecionador de Peles faça sua próxima vítima.

                                                             Resenha


O livro começa como uma típica história de serial killers. Um assassino que tatua as suas vítimas e durante o processo injeta-lhes um veneno que causa uma morte dolorosa. Logo de cara o autor já nos apresenta o ponto de vista do maníaco, seu apelido,  Bill, e diversos aspectos de seu cotidiano. Ou seja, não há um mistério em relação à identidade do assassino, porém isso não prejudica a história, pois são tantos os mistérios em relação ao que motiva seus crimes, são tantas questões sobre sua origem,  são tantos os enigmas que vão sendo propostos, que a trama é uma sequência de apertos no coração. O livro é muito movimentado, à todo o tempo acontecem coisas, os assassinatos, ou tentativas, não tem um grande intervalo de páginas entre eles, o que resulta numa leitura compulsiva. À cada crime, a equipe de Lincoln Rhymes entra em ação e a genial mente de seu líder é posta em funcionamento, capturando pistas importantes nas mínimas evidências. Cada milésimo de grama de determinada substância revela informações  vastas sobre o assassino. O problema é distinguir entre pistas verdadeiras ou pistas falsas, plantadas pelo criminoso para atrasar a investigação.

O livro é um emocionante jogo de xadrez, onde Rhymes e o Tatuador calculam cada movimento um do outro. O assassino é como um camaleão, aparecendo nas cenas de investigação sem levantar suspeita e tendo sua presença  detectada somente quando já é tarde demais. Por várias vezes ele faz a equipe de boba e o leitor também.

Faltando cerca de duzentas páginas para o final, a história dá uma virada espetacular. O livro que parecia ser apenas mais uma história de serial killer, tem um desdobramento e somos pegos de surpresa com um novo aspecto do enredo, com uma nova camada que nos deixa atônitos com a quantidade de surpresas que vão surgindo. E assim que começamo a nos situar novamente e quando tudo parece resolvido cerca de quarenta páginas para o final, mais uma vez Jeffery no surpreende com mais uma camada, com mais revelações de cair o queixo. Confesso que essa últma sequência de acontecimentos e revelações cansou um pouco. Tornou a história menos verossímil, mas por outro lado, esclareceu alguns outros pontos que achei forçados no decorrer da trama. Como, por exemplo, a facilidade com a qual o perito Rhyme escapa de uma cilada do Tatuador. Na ocasião atribuí isso à sorte e achei que o autor estava abusando desse recurso, mas no final tudo ficou bem explicado. Outro ponto que me incomodou é a quanidade de vítimas que escaparam do assassino. Tudo bem que ele era ousado demais e por isso corria risco de ser surpreendido no meio de uma execução, deixando a vítima sair viva. Mas foram muitos personagens que escaparam, não ilesos, mas por um fio. Sem falar em um deles que escapou apenas por não estar no local errado, na hora errada e que foi poupado apenas porque ganhou a simpatia do protagonista e, possívelmente, aparecerá em novos livos da série, já que é um personagem com vastos conhecimentos e que pode ser útil futuramente à  Lincoln Rhyme.
Não li O Colecionador de Ossos, só vi o filme, mas adianto que  esse livro tem muitos spoilers dessa obra. Na verdade, na contracapa há a informção de que se trata de uma espécie de continuação, apesar de ser um livro independente. Há também  alusões ao livro Lua Fria, que também não li. Certamente teria sido muito mais emocionante lê-los na ordem, mas gostei tanto de O Colecionador de Peles, que valeu  a pena começar por ele.
Apesar de no iníco aparecerem alguns diálogos que pareciam soltos no meio da narrativa, fazendo com que eu não soubesse do que estavam falando, com o decorrer das páginas fui me situando e a leitura fluiu, pois a narrativa de Jeffery é bem agradável. Um excelente suspense, para os fãs de serial killer e uma trama grandiosa para quem curte algo mais elaborado.

11 comentários:

  1. Ronaldo, esse livro parece ser foda!
    Só de ler suas descrições, já fiquei interessado. Gosto muito dos filmes neste gênero.
    Preciso dar uma passadinha num sebo e voltar a comprar thrillers :(
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Tenho vários livros de autor na estante mas ainda não li nenhum. Pretendo começar por O Colecionador de Ossos para evitar spoilers.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara é muito bom mesmo, quero ler a série toda.

      Excluir
  3. Ronaldo, o que está acontecendo contigo que deu pra entrar numa vibe mais livros macabros? ? Kkkkkkkkk esse livro ta barato? ?? Porque estou muito pobre meu amigo pra ler livro caro kkk. Abraços #Guto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro livros macabros, é que agora estou dando prioridades a eles. Paguei R$ 39,90, mas valeu a pena, é excelente.

      Excluir
  4. Caramba, amei sua resenha e amei a história do livro. Gosto desses livros assim, com suspense, reviravoltas e um pouco de terror.

    Amei seu blog, estou seguindo!

    beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esse é meu estilo preferido, portanto,me esbaldei. Também estou seguindo seu blog. Sucesso.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Há alguns momentos em que o autor quer tanto nos surpreender, que abusa um pouco, mas ainda assim curti bastante.

      Excluir