quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Meia Noite - Dean Koontz

                                                                     

                                                                        Sinopse


Uma sequência de fatos inexplicáveis acontecem na cidade de Moonlight Cove, um balneário idílico da costa norte da Califórnia, onde criaturas sobrenaturais silenciosamente deixam em seu rastro uma trilha de extrema violência. Uma série de mortes inexplicáveis ocorre naquele local, cujos habitantes parecem ser cúmplices de um segredo de proporções apocalípticas. Quatro pessoas se unem para lutar contra um mal desconhecido e conforme desvendam o mistério que se esconde naquela cidade, mais apavorante é a verdade que toma forma.

                                                                      Resenha

O livro já começa com um primeiro capítulo de tirar o fôlego, uma cena de perseguição caprichada, onde o terror da vítima fica em primeiro plano, com esta fugindo de algo indefinível que a espreita na praia. Logo os personagens principais nos vão sendo apresentados e Dean os retrata de forma minuciosa. Temos um agente do FBI amargurado, uma produtora de filmes workholic, um veterano de guerra aleijado que passa seus dias observando a vida dos vizinhos acompanhado de um fiel cachorro e uma garota que descobre que há algo errado com seus pais e se aventura numa desenfreada fuga.

A narrativa também é recheada de referências a filmes e livros de terror, suspense e ficção científica. Harry, o deficiente que acompanha a vida dos vizinhos com um telescópio, se compara ao personagem de Janela Indiscreta de Hitchcock, por exemplo. São muitas citações à cultura pop, e todas elas pertinentes ao enredo e não apenas uma maneira do autor querer impor seu gosto pessoal, como alguns escritores costumam fazer. São mencionados HG Wells, o filme Vampiros do Espaço, que é baseado no livro de Colin Wilson, o filme Alien e muito mais.
A trama tem uma clara influência de Os Invasores de Corpos, A Ilha do Dr.Moreau e Admirável Mundo Novo.

Dean torce o tema de seu enredo até escorrer a última gota. Ele brinca com a imaginação de forma delirante, explorando todas as implicações possíveis da experiência que gerou a Nova Gente, que são as criaturas que tocam o terror no livro. O livro vai do terror ao horror de forma extrema. Há o medo de algo indefinido, quando as criaturas rondam os personagens, mas não se mostram com clareza, se manifestando através de sussurros do lado de fora, fechaduras sendo forçadas e vislumbres de pés grotescos por baixo da porta. Mas também há o horror explícito que nos assalta durante as descrições minuciosas que ele faz das metamorfoses de suas criaturas. São passagens bizarras, mas hipnóticas. É Dean no auge de sua criatividade.

Devo ressaltar os pontos negativos que são muitos. Os personagens principais demoram demais a se cruzar para, assim, formar a trama. O livro é em sua maior parte composto de cenas isoladas, com cada personagem passando por seus apuros, com o vilão imerso em seus acessos de megalomania e com a Nova Gente vivendo seus dilemas existenciais.
O vilão, por sinal, é um dos mais chatos criados por Dean Koontz, o que é de se espantar, já que um de seus pontos fortes é criar vilões marcantes.
O que me decepcionou bastante foi o papel dos heróis do livro. Quando os mocinhos se conheceram e se instalaram na residência de um deles, formando uma espécie de resistência à força maligna que dominava a cidade, achei que após identificarem os inimigos, planejariam e colocariam em prática uma estratégia de combate às criaturas. Mas não, passaram quase o livro todo acuados dentro de casa e quando saíram, faltando umas 80 páginas para o final, foi para pedirem socorro ao FBI e não para combaterem seus inimigos. Senti falta de um embate empolgante no final. O desfecho teve um lado redentor, mas que em outro aspecto deixou a desejar.

Meia noite é um livro com altos e baixos que faz jus à categoria de terror com cenas apavorantes, embora muitas delas sejam gratuitas, mas bem cansativo pela falta de ritmo. É um clássico de Dean Koontz, um livro singular, que todo fã do gênero deve ler, mas que não consegue ser uma leitura vibrante, daquelas de fazer as páginas voarem. Uma obra onde o autor abusou de alguns recursos, mas negligenciou pontos importantes  a serem desenvolvidos.

3 comentários:

  1. Estou querendo adquirir Meia Noite por um preço razoável, mas quando encontro em sebos virtuais o preço está meio salgado.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu eu paguei R$ 50,00 e achei bem caro, é quase o preço de um livro novo dele.

      Excluir
    2. Achei por este preço na estante virtual faz alguns meses e acabei desistindo da compra por estar meio caro.

      bomlivro1811.blogspot.com.br

      Excluir