segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Intrusos - Dean R. Koontz (Autor do mês)

                                       
O autor homenageado do mês é um dos mestres do terror e suspense, responsável por verdadeiros clássicos que arrebanharam uma geração de leitores. Dean Koontz começou a entrar em evidência nos anos 70, quando os livros de terror eram uma febre e, assim como seu contemporâneo Stephen King, conquistou uma legião de fãs fiéis que o acompanham até hoje. É um dos poucos autores de terror da década de 70 que sobreviveram. Continua sendo um campeão de vendas, embora a partir do início da década de 90 tenha seguido o caminho do suspense. Em agosto, ele será presença constante no blog, em resenhas, matérias especiais, entrevistas e sendo assunto para nossas listas. E pra começar em grande estilo, vamos falar de uma de suas obras mais emblemáticas: Intrusos.




                                                                Sinopse 

Não olhe para trás. Alguém perigoso pode estar seguindo seus passos, vigiando você...

Pode ser um homem normal compelido a cometer um gesto desesperado...

Pode ser um adorável cachorro vira-latas que não é o que parece...

Pode ser um assassino profissional, acostumado a inflingir as maiores atrocidades...

Pode ser uma linda mulher com um passado de crimes e violência...

Pode ser uma criatura estranha, resultado de um desvio genético...

De um lado estão as vítimas inocentes. Do outro, os intrusos.

Um cão foge de um laboratório junto de uma outra criatura cheia de ódio que o persegue, mas o perde de vista durante o caminho. Enquanto esse ser exala maldade, o cachorro é apenas amor e ao cruzar seu caminho com o de um viúvo solitário e o de uma mulher desiludida, a esperança de uma vida feliz para os três é vislumbrada. Porém, esse animal esconde perigosos segredos que pode colocar a vida dessa nova família em risco.  

                                                                    Resenha

Esse livro foi um caso de amor. Pelo enredo, pelo texto e principalmente pelos personagens. A começar por Einstein, o único cão que é tão inteligente quanto amoroso. Seu caminho se cruza ao de Travis, um homem solitário, que carrega feridas emocionais desde a infância, e a relação entre os dois é uma edificante lição de amizade. A maneira como eles se conhecem, se afeiçoam e o modo como Travis vai descobrindo que há algo de especial com aquele cão perdido assim como cria um encanto, vai aguçando nossa curiosidade, já que sabemos sobre Einstein quase o tanto quanto seu novo dono. O cão dá um novo sentido à vida do viúvo e quando Travis conhece Norma, Einstein é responsável por consolidar o laço que os une.  

Norma é uma solteirona reprimida, sem nenhuma autoestima, que tem medo do mundo e se isola na casa em que vivia om sua tia e ao conhecer Einstein tem sua rotina totalmente alterada, tanto pelo animal como pelo seu dono, descobrindo através do contato com eles que sua vida está apenas começando. 

Outros personagens vão surgindo em capítulos paralelos. Vince Nasco, um assassino com delírios de grandeza, que me despertou um certo fascínio inicial, porém no decorrer da trama suas passagens tornaram-se repetitivas e o personagem ficou caricato. Lemuel Johnson, que também contribuiu muito à história, com sua lealdade profissional entrando em conflito com a lealdade por um grande amigo e com suas próprias convicções éticas. E o Monstro, responsável pela aura de medo que permeia as páginas e pelos momentos mais aterrorizantes da história. Sempre que ele surgia, me dava um calafrio como há muito eu não sentia lendo um livro. Apesar da história inverossímil, Dean torna essa obra convincente pela solidez de seus personagens. São todos muito bem estruturados, cada um com seu dilema, defendendo suas verdades e enfrentando batalhas capítulo a capítulo. 

Contudo, a história alcança seu clímax mais de cem páginas antes do livro terminar e o que acontece depois torna a leitura um tanto maçante. Há emoções até a última página, mas Dean deveria ter antecipado alguns acontecimentos e deixar o grande momento para o final. Porém, de modo algum isso torna questionável a qualidade do livro. 

Uma curiosidade: no episódio Krypto, O supercão, da 4ª  temporada da série Smallville há uma intertextualidade com Intrusos, já que o cão do episódio é também um prodígio e tem o nome de Einstein. É claro que Krypto surgiu muito antes do livro de Dean, mas a maneira como a sua história é recontada na série, deixa óbvia a influência do livro. É muito bacana quando se encontram essas referências ligando obras de diferentes mídias, épocas e até mesmo públicos.

2 comentários:

  1. Tenho Intrusos na estante para ler. Tomara que eu goste tanto quanto de A Casa do Mal, que li recentemente e o achei muito bom.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois guarde-o bem porque é mais uma obra do Koontz que virou raridade.

      Excluir