terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Sete guerreiras da literatura

Katniss

Katniss não é só uma guerreira em situações extremas, é também uma batalhadora no seu dia a dia. Aos 16 anos, sua principal ocupação é caçar ilegalmente na floresta para alimentar sua família, já que o pai morreu numa mina de carvão há cinco anos. Todo ano os jovens são inscritos na Colheita, uma forma de recrutamento para que mais tarde um casal seja sorteado para representar seu distrito nos Jogos Vorazes, uma competição sádica, na qual cada casal tem de sobreviver matando os demais. A irmã mais nova de Katniss, Primm é sorteada. Porém a garota se desespera com a ideia de participar dessa carnificina e sua irmã mais velha se voluntaria em seu lugar. Dizer se Katniss vence ou não a competição é soltar spoiler, mas que ela conquistou o coração de uma geração de leitores, não é segredo pra ninguém.

Éowin

Éowyn é a sobrinha do rei Théoden. Seu pai morreu lutando contra os Orcs e tanto ela, como o irmão Éomer foram adotados pelo rei, por quem tinham não só lealdade, como uma imensa devoção. Sua vontade sempre foi o de enfrentar os campos de batalha e quando surgiu a oportunidade, não a deixou passar. Disfarçada de homem partiu para Pelennor ao lado dos Cavaleiros de Rohan, sob o pseudônimo de Dernhelm. Seu grande feito foi destruir o terrível Rei Bruxo de Angmar. Segundo a profecia, nenhum homem vivo seria capaz de matá-lo e foi o que ele disse ao enfrentar o  “guerreiro” Dernhelm. "Mas eu não sou nenhum homem! Você olha para uma mulher. Éowyn, filha de Éomund[...]”foi o que ela respondeu antes de cravar-lhe sua espada. Mas a batalha do coração ela não venceu. Seu amor por Aragorn não vingou, o que não significa que ela não tenha sido recompensada por sua bravura. Desposar o Príncipe Faramir é bem mais que um prêmio de consolação.

Xhex

Segurança do clube Zero Sun, Xhex vivia enquadrando os frequentadores que passavam da conta, levando-os para um canto e os intimidando com sua pose de mulher durona. Mas ela é muito mais que uma leoa de chácara. Filha de um Sympatho com uma vampira, Xhex teve de aprender a lidar com a condição de mestiça, o que a manteve imersa numa cápsula protetora temendo se envolver com alguém, já que seria repelida tanto por uma raça como pela outra. Sofreu uma decepção amorosa ao ser abandonada pelo amante Murder assim que ele descobriu sua natureza mestiça e, não bastasse essa dor, ainda tinha de manter um esforço diário para reprimir seu lado mau, herança dos sympathos. Foi torturada por humanos, servindo de cobaia em suas experiências, foi sequestrada e estuprada pelo terrível Lash e enfrentou seus parentes Sympatho para salvar seu fiel amigo
Rhevenge. Mas desafio mesmo é o que enfrenta em sua relação com o mudo John, seu grande amor. Um romance cheio de altos e baixos, cujas crises ela enfrenta constantemente em nome de uma felicidade que custou tanto a alcançar.

Brienne 
Desajeitada, grandalhona e pouco feminina, Brienne de Tarh deu muito trabalho ao seu pai quando este tentou lhe arrumar um noivo. Além de sua aparência pouco atraente, sua resistência em ceder aos apelos da idade e desposar um homem foram mais um obstáculo para que formasse sua própria família. Até que conheceu Ser Humfrey Wagstaff, que a pediu em casamento e prometeu que a faria se tornar mais feminina após se tornar sua esposa. Mas Brienne não se rendeu facilmente. Propôs uma luta e somente se perdesse aceitaria o pedido de casamento. E não deu outra, ela venceu o pretenso noivo e sua última chance de se tornar uma distinta mulher casada foi para o espaço. Sua trajetória como soldado é rocambolesca. Após ganhar um torneio recebe como prêmio sua admissão na guarda pessoal de  Renly Baratheon. É injustamente acusada de assassinato e então acolhida por Catlyn Stark, por quem passa a dispensar uma grande lealdade. E é em nome dessa lealdade que se empenha na busca por Sansa. Uma personagem bastante controversa, que apesar do aspecto embrutecido, tem uma certa infantilidade e apesar de repudiar o casamento, se apaixona por
Reinly quando ele a trata com cortesia.

Hermione

Muito estudiosa, a ponto de ser considerada pedante pelos colegas de escola, Hermione não era muito popular entre os alunos de Hogwars. Mas com o passar do tempo fez dois grandes amigos, Harry e Rony Weaslley, e protagonizou situações bastante inusitadas. Como o uso do Vira -Tempo para poder comparecer a diversas aulas simultaneamente. Também causou o ciúme de seus dois amigos ao se envolver com o jogador de Quadribol Vicor Kum. Mas sua estada em Hogwats rendeu momentos muito mais emocionantes do que as intriguinhas amorosas. Se recuperou da petrificação após se tornar vítima do basilisco que foi solto com a abertura da Câmara Secreta. Abraçou a causa de defesa dos elfos domésticos que, segundo ela, mereciam um melhor tratamento e assim fundou a associação F.A.L.E. Agitou a galera de Hogwarts na criação da Armada de Dumbledore, e lutou bravamente em diversas batalhas. Mas seu feito mais impressionante foi o de, ao lado de Rony, renunciar ao seu ultimo ano de escola para acompanhar Harry em sua busca pelas Horcruxes de Lord
Voldemort. Vindo de uma CDF como ela foi um tremendo sacrifício. E a grande prova para merecer a medalha de guerreira foi destruir a taça de Helga Lufa-Lufa, prova pela qual passou com mérito.

Beatrice

Numa sociedade onde as pessoas são divididas em apenas cinco categorias e segregadas de acordo com uma delas, pertencer a mais de uma categoria é perigoso, é estranho, é inaceitável, é divergente. Ao chegar aos 16 anos e fazer o teste obrigatório para definir sua verdadeira aptidão, ou melhor, para definir qual será seu rótulo, Beatrice descobre que se enquadra em três categorias diferentes. Algo inédito naquele mundo distópico. Ao descobrir que essa sua peculiaridade, ela é aconselhada a mantê-la em segredo, pois corre risco de morte se seu segredo vier à tona. Beatrice pode escolher entre ficar com a facção dos Audaciosos, dos abnegados ou dos Eruditos. Mas mesmo tendo sido criada entre os Abnegados, fazendo grandes concessões em prol do próximo, entre pessoas passivas e obedientes, ela decide se unir ao Audaciosos. E é então que tem de enfrentar desafios e assim fazer jus à coragem que existe dentro de si.

Isabel

Ela não tinha lá muito boa índole. Era ciumenta, invejosa e rancorosa. Mas era uma mulher valente. Uma mulher que, quando se embrenhava na mata, era comparada a uma onça. Criada pelo tio, o Bandeirante D. Brás, Isabel cresceu entre espadas, facões e espingardas. E convivendo com os índios aprendeu a manusear o arco e flecha. Uma bela mulher que acompanhava os homens em suas viagens ao sertão e mesmo com suas madeixas negras se misturava a eles e não deixava nada a dever, mesmo sendo inferior em matéria de força. Mas ainda assim era uma mulher e era difícil esconder sua atração pelo primo Tiago, com quem tinha uma relação hostil. Porém, como uma guerreira, ela venceu essa animosidade e o fez se render à sua sensualidade. O livro A Muralha já teve diversas adapatações para o rádio e por duas vezes para a TV, na primeira como novela e depois como minissérie. Uma grande obra que fala sobre uma época fascinante da História do Brasil.

Um comentário:

  1. A Brienne de Crônicas de Gelo e Fogo é muito forte e determinada, gosto dela.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir