quarta-feira, 4 de junho de 2014

Sete padres que não deram grandes exemplos de virtude

 Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço. Padres, frades, seminaristas, esse é o lema desses homens que, como qualquer ser humano erraram, mas deram bem mais que umas escorregadelas. Persistiram em seu erro e caíram feio em nosso conceito.



Padre Amaro 
 Entrar para o seminário naquela época era uma das poucas maneiras de um garoto pobre receber instrução, status, além de ter casa e comida de graça. Amaro, porém cede aos seus desejos e se envolve com Amélia, com quem vive uma tórrida paixão. Até aí ele não difere de seus colegas de clero, pois outros padres também cometiam o mesmo “pecado”, tanto que havia um acordo tácito de silêncio que os protegia. Ninguém delatava ninguém, pois todos tinham telhado de vidro. Mas Amaro foi além. Foi o responsável pelo término do namoro de sua amada Amélia com João Eduardo e após ambos reatarem, se tornou amante da jovem e a engravidou. Porém, a conveniência de sua posição, os luxos e rapapés que a condição de clérigo lhe proporcionava, o afastaram da mulher que amava. O maior crime do Padre Amaro não foi ceder aos seus instintos sexuais, mas foi o de ser covarde, oportunista e omisso.



Padre Brophy
                                                                                                        
 Está aí um romance pelo qual torci, mas que logo depois passou a me irritar. Brophy tentou resistir à atração que sente pela Dra Maura Isles, mas no decorrer da série os dois se entregam e dão início a um romance secreto. Porém, com o tempo percebe-se que Brophy não tem a mínima intenção de assumir o caso que tem com a legista e nem mesmo realizar qualquer mudança na sua cômoda rotina dentro da Igreja. Maura aos poucos vai sendo reduzida a um objeto, que ele usa de acordo com as suas conveniências. É aquele tipo de amante que chega  à noite e vai embora de manhã, antes do café. Um machista enrustido que dá um péssimo exemplo não só como padre, mas como homem.                                                                                            
Padre Ralph 


Dividido entre a vocação e o amor por Meggie, entre uma vida comum ou a ascensão dentro da igreja, Padre Ralph cede à sua ambição e comete um ato que, apesar de aparentemente nobre, foi de um egoísmo revoltante. Doa uma fazenda à Igreja, em detrimento da herdeira por direito. Com esse ato, ganha poderosos aliados dentro do clero que o apoiarão em seu caminho rumo ao Vaticano, enquanto a mulher de sua vida se torna empregada na propriedade da qual deveria ter sido a dona.







Loredano       

 Loredano não era bem um padre e sim um frade que foi expulso da ordem e se transformou num mercenário que não media esforços quando se falava em dinheiro. Através da confissão de um moribundo, se apossou do mapa de uma mina de prata e seguiu para as terras do fidalgo  D. Antônio de Mariz. Lá, além de ambicionar o tesouro enterrado na Serra dos Órgãos, fica obcecado pela bela Ceci. Cruel, ardiloso e ganancioso, Loredano estava no extremo oposto de tudo o que um frade deveria representar. Que bom que ele foi expulso a tempo. Todos esses defeitos unidos ao poder que o clero tinha na época teriam-no transformado numa calamidade ambulante.                      


Padre Callahan

 Após ser atacado por um vampiro Padre Callahan, que aparece pela primeira vez em A Hora do Vampiro, tem seu orgulho ferido e passa a sofrer de uma crise de fé, vagando por aí em busca de respostas para suas dúvidas existenciais. Seu contato com o sangue vampírico o faz compreender melhor essas criaturas e se sentir mais próximo delas, o que não o impedia de caça-las. Seu único consolo era a bebida. Sim, Padre Callahan era também alcoólatra. Um personagem que vagou entre mundos, vagou entre livros mas quando achou que estava tudo perdido, acabou por se encontrar. Se for ver por esse ponto de vista, até que ele não foi tão mau exemplo assim.




                                            
                              
    Padre Welleran 

  

Um articulador político que vira a casaca sempre que as condições deixam de lhe ser favoráveis. Um duas caras, que te dá um abraço e te apunhala pelas costas. Invejoso, mentiroso, vil, Padre Welleran faz o contraponto do nobre Philip, com quem trava várias disputas e geralmente sai ganhando. É um  vilão escorregadio, que sempre sai ileso das situações que cria e que vai testando nossa paciência de modo que esperemos ansiosamente que se ferre no final.



Ricardo

Tudo bem que ele ainda não era um padre e sim um seminarista. Mas seu pecado foi bem mais grave que não manter a castidade. Foi perder a virgindade com ninguém mais, ninguém menos que sua tia. Ou seja antes mesmo de fazer seus votos ele já estava praticando incesto. E não foi só uma vez. Mas algo a se dizer em sua defesa é que ele resistiu bravamente e só cedeu porque não estamos falando de  qualquer mulher , mas de Tieta do Agreste.