domingo, 21 de setembro de 2014

Sete mulheres que deram a volta por cima

Enganadas, menosprezadas, usadas e ridicularizadas. A vida não foi generosa com elas. Mas essas mulheres não aceitaram passivamente seu destino, secaram as lágrimas e pediram revanche. Resultado: venceram lindamente e nos deram um espetáculo no mínimo motivador.



Daenerys

Usada pelo irmão Viserys como moeda de negociação em sua tentativa de recuperar o trono, Daenerys é uma frágil jovem que vive sendo arrastada de um lado a outro, sem direito à expressar sua própria vontade. Mas após ser oferecida a Drogo, o poderoso líder de um povoado, que a aceita em troca de uma aliança política com Viserys, sua vida começa a mudar. O amor que passa sentir pelo gigante e os maus tratos que sofre nas mãos do irmão, faz com que se volte contra este e tome as rédeas de sua vida.
Após um trágico incidente, o destino do povo que seguia seu marido fica em suas mãos e ela demonstra um admirável poder de liderança, controlando os homens e conquistando a confiança das mulheres. Um dos personagens femininos mais aclamados na literatura moderna.




JeriLee
JeriLee é um grande exemplo da mulher independente, que quer atingir o sucesso pelos próprios méritos e encara qualquer ajuda como uma ofensa pessoal à sua própria competência. Parece o estereótipo da feminista radical e chata, não é? Mas Harold Robbins foi muito habilidoso ao construir essa personagem sem transformá-la numa caricatura. Não há como não gostar de JeriLee e torcer para que se dê bem no mundo do show bizz. Até certo ponto do livro, é claro. Chega um momento em que dá nos nervos sua mania de auto-suficiência. Porém seu orgulho lhe fecha as portas e tem início sua decadência. A degradação da vida nas ruas, das drogas, da fome e da prostituição a levam ao fundo do poço. Mas JeriLee dá a volta por cima com a ajuda de um amigo, recupera sua dignidade e volta à luta. A recompensa: nada menos que um Oscar.





                                                                                               
Noelle Page

Ela foi abandonada por um homem que lhe prometeu casamento, que comprou seu vestido de noiva e depois desapareceu. Mas anos depois teve a satisfação de se tornar a patroa deste homem, provocá-lo, humilhá-lo e seduzi-lo ao ponto de levá-lo ao desespero. Noelle sofreu horrores com o abandono de Larry, mas engoliu o choro e usou sua beleza e sua inteligência para chegar ao topo. Seduziu homens poderosos e os fez de escada para chegar ao mais próximo que podia de se tornar uma rainha, tudo para se desforrar do único homem que amou. É claro que após a sua vingança, nem tudo saiu como ela havia planejado, mas temos de reconhecer que depois de ter levado uma rasteira da vida ela subiu no salto com muito estilo.





Pandora
Perdeu sua família, suas posses, foi escorraçada de sua terra e obrigada a se esconder. Não é qualquer um que sobrevive a um destino desses. Mas Pandora manteve-se firme e não só se refez, como ganhou uma nova vida. Como uma imortal. Tornou-se amante de um dos vampiros mais poderosos da Terra e, embora tenham se desencontrando durante os seus séculos de existência, ela soube muito bem se virar sozinha e tornou-se uma lenda entre os de sua espécie. Que lástima Anne ter desenvolvido tão pouco a história dessa personagem em suas crônicas vampirescas. Mesmo sendo tão querida pelo público, a vampira esteve em apenas quatro livros da série, sendo que o seu livro próprio foi o mais curto de toda a coleção. Porém, Anne Rice voltou a escrever sobre vampiros e quem sabe Pandora reapareça para nos contar um pouco mais sobre sua vida milenar.




                                                                                               
Mary
Após ter vencido a batalha contra o câncer, Mary levava uma vida sem muitos atrativos. Um emprego sem glamour, uma casa modesta e quase nenhum amigo. Porém a doença retorna exatamente no momento em que conhece o homem de sua vida. Alguém que estava além de qualquer expectativa. O mais belo de todos os guerreiros da Irmandade, que entra em sua vida para trazer de volta seu entusiasmo.
Mary no início não acredita em tanta sorte, acha que está sendo alvo de alguma brincadeira de mau gosto. E também não acredita em sua falta de sorte, quando descobre a felicidade e a vê ser ameaçada pelo câncer, que silenciosamente voltou a agredir seu corpo.
Porém, Mary não desiste. Rhage a conduziu a um novo mundo e ela se entregou a esse guerreiro mesmo que sua felicidade fosse curta. E foi essa coragem que fez com que fosse agraciada com um presente mais do que especial.






Scarlet O'Hara

A guerra foi a maior vilã na história de Scarlett O’Hara, que a afasta das futilidades da vida social e a coloca diante da ameaça de perder sua fazenda e com ela, toda a fonte de renda de sua família. É então que conhecemos a verdadeira Scarlett, que se lança num mundo dominado pelos homens procurando salvar sua propriedade. Ela vai ao fundo do poço, chega a passar fome, mas jura recuperar o que perdeu. E cumpre o que prometeu à si mesma, sem deixar de lado seu lado feminino e romântico, mesmo que brigar seja sua maneira de demonstrar seus sentimentos. Rhett Butler que o diga.





                                                                               
                             


Jane Rizzoli

Única filha mulher com dois irmãos brutamontes que eram o orgulho do pai, Rizzoli desde cedo aprendeu que seu lugar era ficar em segundo plano. Na família, na sua carreira na polícia e até mesmo no primeiro livro em que surgiu Jane Rizzoli era a coadjuvante. Mas isso não significava que ela se conformava com esse papel. Tanto que mesmo sendo uma policial estigmatizada devido a um lamentável incidente em sua carreira, tomou a frente de uma importante investigação e caçou à unha um dos assassinos mais espertos e cruéis da literatura de suspense. Rizzoli não só se tornou a protagonista de sua série, como ganhou o reconhecimento no trabalho, o respeito da família e de brinde, um grande amor. Sem falar que ela também conquistou nossos corações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário